Cidadeverde.com
Geral

Após interdição, maternidades terão novo fluxo de atendimento

Imprimir

As gestantes de Teresina terão um novo fluxo de atendimento para seguir durante o período de internação parcial da Maternidade Dona Evangelina Rosa. Definido em reunião na noite desta quinta-feira (22), o fluxo determina que as gestantes sejam atendidas primeiramente em uma das quatro maternidades da prefeitura, localizadas no Dirceu, Promorar, Satélite e Buenos Aires até o seu limite de leitor. Havendo ocupação total dos leitos, a gestante será transferida para a Maternidade Dona Evangelina Rosa.

“Manteremos o risco habitual nas nossas maternidades e encaminhar devidamente a maternidade Evangelina Rosa quando houver necessidade. Hoje Teresina conta com 103 leitos nas maternidades municipais para mulheres de risco habitual. Vamos atender até essa capacidade, mas se ela chegar e não houver nenhuma vaga ela será encaminhada para a maternidade Evangelina Rosa", explica Jesus Mousinho, diretora de assistência especializada da FMS. 

A partir de agora e até o fim da interdição, as mulheres grávidas com gestação classificada como de médio risco que chegarem às maternidades da Prefeitura deverão ser transferidas por meio da regulação para a Maternidade Wall Ferraz, localizada no Dirceu. A internação nesta maternidade será condicionada à existência de vaga e, no caso de ocupação de todos os leitos, a gestante deverá ser transferida por meio da regulação para a Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Atualmente há quatro vagas na maternidade Wall Ferraz, do bairro Dirceu II. A rotatividade é constante, portando as vagas variam diariamente. 

A gestante que tiver sua gestação classificada como de alto risco nas maternidades da Prefeitura será transferida por meio da regulação para a Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Já nos casos em que a gestante procure espontaneamente a MDER, ela deverá permanecer internada ali sempre que sua gestação for alto risco ou se for de médio risco tendente a evoluir para alto risco ou se, sendo de médio risco, não houver vaga na maternidade Wall Ferraz; e, ainda, nos casos de baixo risco em que houver vaga no Centro de Parto Normal da MDER e também na situação em que a gestação for de baixo risco, mas as maternidades da Prefeitura estiverem lotadas.

Rayldo Pereira
Com informações da TV Cidade Verde
rayldopereira@cidadeverde.com

Imprimir