Cidadeverde.com
Geral

Teresina tem 56 áreas de risco e prefeitura faz monitoramento

Imprimir


Foto:Ascom/PMT

O secretário de Trabalho, Cidadania e Assistência Social de Teresina, Samuel Silveira, afirmou que Teresina possui 56 áreas de risco devido as fortes chuvas. Esses locais estão sendo acompanhados pela prefeitura em parceria com a Defesa Civil. 

Samuel Silveira informou que áreas como o residencial São Paulo preocupam devido o aumento do nível da água.  

"São 56 áreas consideradas de risco que são monitoradas permanentemente. O  aumento do volume de chuvas preocupa, principalmente, no conjunto São Paulo, com a elevação  de um córrego. Famílias foram orientadas a deixarem as casas", disse. 

A situação também preocupa no residencial Dilma Rousseff, Vila do Avião, Pedra Mole, povoado Bom Sossego na zona rural de Teresina e Vila Nova. As famílias em situação de risco foram orientadas a deixarem as residências. 
"Uma família teve a casa invadida pela água e a orientação de pronto foi para a saída da  residência por meio de ação da Defesa Civil. A família foi inserida no programa Cidade Solidária que evita que elas sejam deslocadas para escolas e outras estruturas públicas", disse.

De acordo com o secretário, famílias que enfrentaram problemas com as chuvas ano passado, não sofrem o mesmo problema agora devido medidas que foram tomadas pela prefeitura. 

"Estamos consolidando esses dados. Nas primeiras horas da manhã a equipe da Defesa Civil já estava trabalhando no Recanto dos Pássaros ainda na zona Sudeste. Estive presente acompanhando as residências que correm riscos. No residencial Dilma Rousseff são cinco residência com risco. A boa notícia é que por meio das ações realizadas pela prefeitura, aquelas casas que no inverno do ano passado tiveram risco, esse ano ainda não apresentaram. Nós enxergamos como uma boa medida. Agora precisamos redobrar a atenção e manter o monitoramento", destacou. 

Segundo ele, as famílias afetadas são atendidas pelo programa de acolhimento por famílias solidárias. "Fizemos isso preventivamente não só nesse momento especial de chuva, mas também, neste período de altas temperaturas em que há os riscos de incêndios. Acreditamos que a Defesa Civil tem se comportado bem. Hoje pela manhã quando fui ao residencial Dilma Rousseff acompanhado pela equipe da assistência social para acelerar os procedimentos. A preocupação é fazer da forma mais rápida possível. Não há nenhum obstáculo. Há um fluxo a ser seguido. A partir da chegada da Defesa Civil é feito um laudo. A prefeitura patrocina o aluguel social para que essas pessoas possam ser atendidas", afirmou.


 

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com

Imprimir