Cidadeverde.com
Geral

Mensagem de ódio contra cachorro morto no Carrefour é investigada no Piauí

Imprimir

A estudante de Letras da Universidade Federal do Piauí, Aline Marinho, virou um dos assuntos mais comentados das redes sociais no Brasil. A internet não está perdoando um comentário atribuído a jovem sobre a morte de um cachorro no supermercado Carrefour de Osasco (SP), que gerou comoção nacional.  Ela afirma seu que seu perfil foi invadido.

Na postagem feita no Instagram o perfil @alinemarinhoo desdenha sobre a morte do animal. “E daí, gente? O cachorro tava lá fedendo, enchendo o saco. Tinha que matar mesmo. Inclusive tinha que matar todos os de rua. Não servem pra nada e não fariam falta nenhuma. Animais de rua são uma cruz que a gente tem que carregar”.

O comentário gerou revolta nos internautas, que começaram a atacar a jovem e pedir, inclusive, que ela cometa suicídio. “Desgraçada, você merece ir para o inferno , se mata e faz esse favor para nós”, postou um usuário do Facebook. “Você é um lixo, nojenta, sua mãe devia te abortado você”, ataca outro.

A repercussão é tanta que, na noite dessa terça-feira (4), a atriz Tatá Werneck também se posicionou sobre o comentário que teria sido feito por Aline.  Ela compartilhou para mais de 10 milhões de seguidores o suposto post e lamentou ainda existir “esse tipo de ser humano”. Já na manhã de hoje Tatá retweetou a foto do Boletim de Ocorrência feito por Aline, onde ela afirma sofre injúria, calúnia e difamação. 

Foto: reprodução/twitter@tatawerneck

 

 

Através do Facebook, Aline alega que seu perfil no Instagram foi hackeado e que não dela a autoria do comentário odioso sobre a morte do cachorro. A universitária diz que está sendo injustiçada e que os ataques contra ela são “desumanos”. 

“Já podem parar de mandar eu me matar? Isso é horrível, desumano, não se faz.  Eu não escrevi aquele comentário, não tenho mais acesso ao Instagram, e não tenho WhatsApp com DDD 21. Parem de ofender uma pessoa que vocês nem conhecem. Eu sei que tem muita gente que não tá acreditando em mim. Mas as pessoas que convivem comigo tem o conhecimento de que eu jamais compactuaria com tamanha barbárie. E são com elas que eu me importo. Então você, que está me xingando do RJ, SP, ou qualquer outro lugar: por favor, parem de compartilhar notícias falsas. Isso não se faz. Estou extremamente triste, com medo, sendo hostilizada por algo que eu não fiz. Seja lá quem estiver usando o Instagram se passando por mim, para, pelo amor de Deus. Eu não aguento mais”, desabafou.

Foto: Divulgação/AlineMarinho

O Cidadeverde.com entrou em contato com Aline, mas, assustada com o que está acontecendo, a estudante prefere não conceder entrevista sobre o assunto. Ela apenas nega ter feito o comentário.

O setor de Investigação do 5º Distrito Policial confirmou que a jovem registrou Boletim de Ocorrência alegando que seu perfil no Instagram foi invadido. No B.O Aline denuncia injúria, difamação e calúnia. 

Um inquérito policial será aberto no 5º DP para investigar o caso. 


Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir