Cidadeverde.com
Esporte

Sem Damião, Inter aguarda Luiz Adriano e usa criatividade atrás de atacante

Imprimir

Com a confirmação da saída de Leandro Damião, que atuará no futebol japonês, o Internacional irá ao mercado da bola atrás de um atacante. Depois de Luiz Adriano gravar um vídeo divulgado pelo Spartak Moscou dizendo que permanecerá no clube, o Colorado espera para conversar com ele e procura agir com criatividade.

Sob a ótica do Inter, o material produzido e levado a público pelos perfis do clube russo não condiz com a vontade de Luiz Adriano. Mostra, sim, uma preocupação dos europeus com a intenção do jogador de atuar no Brasil.

O colorado mantém a esperança de encontrar uma forma de repatriar o atacante de 31 anos formado nas categorias de base do clube. Para isso, espera a participação do Spartak na Liga Europa e a chegada dele ao Brasil para, durante as férias, acertar argumentos de persuasão e, apenas então, entrar em contato com os russos.

Mas a manifestação já soa como uma negativa antecipada. E o mercado da bola não dá opções dentro dos padrões pretendidos pelo Inter. Desta forma, a meta é usar a criatividade para conseguir contratar.

Com seis estrangeiros no grupo (D'Alessandro, Sarrafiore, Guerrero, Alvez, Cuesta e Nico), sendo que apenas cinco podem jogar por partida, o Inter tem como meta olhar jogadores que possam ser contratados de duas formas: troca de empréstimos ou aquisição de direitos em fim de contrato.

"As nossas condições não são iguais às de Flamengo e Palmeiras. Cabe a nós ter a criatividade que tivemos esse ano. Tivemos criatividade de buscar jogadores que agregaram muito ao time. Zeca, Patrick, Fabiano, Emerson... Jogadores que nos ajudaram. Se você não tem dinheiro, tem de buscar. 

Usar de criatividade, inteligência para que a gente possa dar a cartada certa como a gente fez esse ano. Agregar valor ao grupo, qualidade, porque a gente disputa muitas competições. É um grupo de qualidade, deu boa resposta, mas a gente precisa formar um 11 forte. Em muitos jogos, você precisa diversificar a equipe", disse o técnico Odair Hellmann, à Fox Sports.

A posição de centroavante é muito relevante. Na ideia de jogo implantada por Odair Hellmann durante a temporada 2018, o pivô para avanços da linha de meio e a profundidade para abrir espaço para a construção ofensiva praticamente sustentam as movimentações do time com a bola.

Não ter um homem de frente com estas características praticamente inviabiliza a manutenção do sistema que já está sólido entre os jogadores. E alterar as ideias significaria recomeçar o trabalho quase do zero.

Restam no elenco Paolo Guerrero, que só poderá atuar a partir de abril devido a suspensão por doping, e Jonatan Alvez, que está emprestado até o meio do ano. Nico López e William Pottker também podem atuar centralizados, mas a preferência é que joguem pelo lado, onde vão melhor. E Pedro Lucas e Brenner ainda fazem parte das categorias de base.

MARINHO SALDANHA
PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS)

Imprimir