Cidadeverde.com
Últimas

90% dos alunos premiados na Olimpíada de Português são da rede estadual

Imprimir

Mais de 90% dos premiados na III Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa são de responsabilidade da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que comemora os excelentes resultados neste fim de ano. 

A solenidade de premiação dos medalhistas foi realizada na manhã desta quarta (12), no Theatro 4 de Setembro, com a presença dos estudantes dos mais diversos municípios do Piauí, autoridades, representantes da Seduc, Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Instituto Federal do Piauí (IFPI), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec), que são os órgãos envolvidos também na organização. 

"Estamos felizes com todos os resultados no final de 2018, que foi coroado com muitas vitórias. Como o prêmio de redação do Jovem Senador, Prêmio Darcy Ribeiro, OBMEP e a Olimpíada de Língua Portuguesa. Estamos hoje aqui comemorando mais essa realização, que contribui para que o aluno se desafie e se motive para que venham esses ótimos resultados que estamos tendo", relata do superintendente institucional da Seduc, José Barros Sobrinho.

Aos 16 anos, Zacarias Neri, da Unidade Escolar Patronato Nossa Senhora de Lourdes, de Campo Maior, participa pela segunda vez da Olimpíada. Ano passado ganhou bronze e agora ganhou ouro no gênero Artigo de Opinião com o texto "Que nesta terra tem riqueza". "É uma honra estar aqui novamente recebendo esse prêmio. Eu abordo no meu texto que o Piauí é um estado muito rico em patrimônio, cultura, tradições, mas os próprios piauienses não valorizam", explica o estudante.

Por influência da professora, Maria Vitória, aluna do Centro Estadual de Tempo Integral (Ceti) Didácio Silva, no Dirceu, se inscreveu pela primeira vez esse ano e começou bem, ganhou ouro também no gênero Artigo de Opinião. "Sempre tive muita afinidade com a Língua Portuguesa e com a ajuda dos professores na produção do texto foi melhor ainda. É muito gratificante receber esse prêmio e o que vou levar são as coisas boas que eu vi que tem no meu estado", declara a campeã. 

Uma das professoras que orientou Maria Vitória foi a Virgínia Castro, que ficou orgulhosa de mais uma aluna que auxiliou. "É uma tarefa muito importante, não só para mim como profissional, mas principalmente para o desenvolvimento dos alunos nas competências linguísticas e de escrita deles. Então para mim, quanto professora, é a realização do meu trabalho na realização dos alunos", disse a professora, que acompanha um aluno medalhista pela 5ª vez na olimpíada. 

Com o tema "Saberes do nosso povo", mais de 500 escolas de 60 municípios do estado inscreveram alunos nos gêneros Crônica, Poesia e Artigo de Opinião. Ao total, foram mais de 400 textos avaliados. A professora Vilma Lages, representante da Seduc no Comitê Gestor da olimpíada ressaltou a liderança dos alunos da rede pública estadual. "A qualidade dos textos está muito boa. São textos que enaltecem o estado com uma propriedade de escrita muito boa. Nessas três edições temos um ponto positivo, das 36 vagas a rede pública estadual conseguiu 30, mesmo competindo com alunos do IFPI e a rede municipal". 

Além do fato da maior parte dos medalhistas serem da rede estadual, o que chamou atenção da organização foi o nível dos participantes, "se formos comparar os textos com os da primeira e segunda edição, percebemos a evolução desses textos. Não só a qualidade do texto em si, mas também a participação é bem maior. Foi um crescimento satisfatório. Nós percebemos que eles estão mais motivados em participar da nossa Olimpíada", disse a professora doutora da Uespi, Ermínia Maria Silva, também do Comitê Gestor.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Imprimir