Cidadeverde.com
Últimas

Sírios e libaneses do Piauí serão homenageados no memorial do Mercado Central

Imprimir

Foto: Gabriel Paulino/PMT 

O Mercado Central São José foi o local de início da atividade comercial em Teresina, principalmente para os imigrantes sírios e libaneses, que chegaram aqui no final do século XIX trazendo muitas novidades e impulsionando o comércio.  Por sua contribuição na formação da história da capital, sírios e libaneses do Piauí serão homenageados no memorial do Mercado.

Através do Projeto Mascate, apresentado hoje (17) ao prefeito Firmino Filho, a ideia é que seja erguida uma estátua do mascate sírio-libanês no segundo andar do Mercado Central, na área reformada recentemente, onde há um memorial para preservação da história do lugar.

Além disso, o espaço deve abrigar objetos que ajudam a tornar viva a memória da presença dos imigrantes em Teresina, como por máquinas registradoras e documentos. “É um projeto excelente que agora será levado para a Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) da região Centro Norte, responsável pelo Mercado São José”, disse Firmino Filho.

“Foi no mercado que tudo começou por causa da proximidade com o rio Parnaíba. E quando os imigrantes chegaram, primeiramente os sírios, se instalaram ali. Eles começaram como mascates (vendedores ambulantes) e, depois, começaram a criar lojas nos arredores.  Posteriormente houve a migração para outras ruas, a exemplo da Paissandu e Álvaro Mendes”, relembra Marta Teresa Tajra, presidente da Sociedade Syrio-Libanesa do Piauí, formada por descendentes de diversas famílias imigrantes, dentre elas: Tajra, Caddah, Said, Cury, Hidd, Sady (esta última, única representante libanesa no Piauí).

"A história dos descentes sírio-libaneses do Estado do Piauí se consolida e se mistura com a própria história da cidade de Teresina. O comércio local foi forjado à base do trabalho de todas essas pessoas que adentraram o território piauiense, mais especificamente Teresina, Floriano e Parnaíba. Agora, houve a solicitação da homenagem por parte da Sociedade Syrio-Libanesa, o prefeito pediu a elaboração do projeto e nós vamos desenvolvê-lo no Mercado Central”, afirmou o secretário municipal de educação, Fernando Said.

 Da redação
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir