Cidadeverde.com
Cidades

Gerente e família ficam de reféns por quase 20 horas durante assalto a banco

Imprimir

Agência do Itaú da Álvaro Mendes; foto: Google Maps


Um noite de terror vivida pelo gerente do banco Itaú, no centro de Teresina.

Ontem ao sair do trabalho - por volta das 17h30 - ele foi tomado de refém e levado para sua residência no bairro Parque Piauí, zona Sul da cidade. Lá, viveu momentos de pânico e ameaças de morte. Os assaltantes estavam dispostos à ficarem de plantão na residência até o banco ser aberto por volta das 9h da manhã desta sexta-feira. Foram quase 20 horas na mira de assaltantes. Somente por volta das 13h de hoje eles foram liberados.

O Cidadeverde.com apurou que um dos momentos mais tensos ocorreu por volta das 4 h da madrugada desta sexta-feira. Os criminosos pegaram a filha e a esposa do gerente e comunicaram que iriam leva-las para um cativeiro - em outro local. A ideia dos bandidos era pressionar o gerente a não fazer qualquer tipo de denúncia.

Monitorado e por volta das 9h, o gerente foi até o banco - da Álvaro Mendes - e entregou todo o dinheiro que estava no cofre aos assaltantes. O cofre é monitorado e somente é aberto pelo gerente em horário e senha pessoal. Segundo a Polícia, os assaltantes levaram mais de R$ 200 mil em dinheiro. 

O gerente Metropolitano da Polícia Civil, delegado Sebastião Alencar, informou que a polícia faz buscas aos criminosos. Ele disse ainda que o Greco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado) está no caso.

O diretor da Regional Teresina do Sindicato dos Bancários, Raimundo Nonato de Sousa, conhecido como Neide, disse que a instituição tem cobrado medidas para acabar com o sequestro de gerente durante assaltos. 

Segundo o Sindicato, 48 agências bancárias desde 2017 foram assaltadas, algumas com sequestro de gerentes, outras com arrombamentos e explosões. 

Neide esteve com o gerente do Itaú e informou ao Cidadeverde.com que ele estava bastante abalado.

"Ele está muito abalado, todo tempo estava ameaçado com revolver na cabeça e se ele fizesse alguma coisa errada iria morrer junto com a família".

O diretor do Sindicato destacou que a entidade vai acompanhar o caso e dará toda assistência ao gerente.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Imprimir