Cidadeverde.com
Últimas

Dupla é presa suspeita de latrocínio a dono de motel na zona Leste

Imprimir

Dois homens foram presos nesta quarta-feira (30) suspeitos de torturar e matar o proprietário de um motel na zona Leste de Teresina em julho de 2018. Alisson Alves Rodrigues e Antônio Carlos Olegário, conhecido como Carlin, foram presos em casa no bairro Cidade Leste. De acordo com a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os dois participaram diretamente do latrocínio - roubo seguido de assassinato - do empresário Joaquim Bandeira da Silva Filho, em um motel no bairro Vila Maria.

Segundo informações da equipe que periciou o crime, o dono do motel foi torturado, asfixiado e o corpo encontrado amarrado com um cadarço. As investigações apontam que o objetivo dos suspeitos era roubar, pois eles deixaram o motel depois de entrar em dos quatros e também tomar pertences de um casal que estava hospedado. Conforme a polícia, o casal ficou amarrado durante horas, foi ouvido pela polícia no Maranhão e forneceu informações importantes que levaram às identificações.

“Uma testemunha chave que estava no motel no momento do crime foi decisivo para que chegássemos a esses indivíduos”, informou o delegado Francisco Costa, o Baretta, coordenador da DHPP. Bareta deu entrevista hoje ao Jornal do Piauí. 

Depois de cometerem o crime, segundo a polícia, eles roubaram a motocicleta do proprietário que estava no motel. O veículo foi encontrado dias depois e um vídeo conseguido pela polícia com a vizinhança ajudou na identificação dos suspeitos quando eles apareceram nas imagens na frente do estabelecimento. “Inclusive temos fotos dos dois que foram presos hoje abandonando a moto no Lourival Parente (bairro da Zona Sul)”, destacou o coordenador.

A polícia informou que além de Alisson e Antônio Carlos, também participou do crime, Elias Afonso da Silva Júnior, que já estava preso. Elias teria cometido um roubo em circunstâncias semelhantes meses antes da morte no motel. Inicialmente, de acordo com Baretta, Elias confessou todos os fatos. Com as prisões de hoje, o crime é dado como elucidado pela polícia civil. Eles foram encaminhados à Central de Flagrantes para serem submetidos à audiência de custódia.

Foto: Arquivo/ Cidadeverde.com
  

Lyza Freitas
[email protected]

Imprimir