Cidadeverde.com
Política

Governador diz que reforma administrativa evitará atraso de salários

Imprimir

 

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Atualizada às 12h23

O governador Wellington Dias pediu o empenho da base na aliada na aprovação da proposta. Segundo ele, a economia de R$ 400 milhões irá impedir o atraso de salários em 2020.

O governador disse reconhecer que as medidas são duras, porém necessárias. "Vamos apresentar e buscarmos ter o apoio dos parlamentares do Piauí. A reforma nunca é fácil. Acredito na compreensão dos deputados.  Se não ocorrer a aprovação, teremos um cenário pior com atraso de salários . É um esforço para que possamos ultrapassar o primeiro momento e poder voltar às condições de normalidade", destacou

Sobre a convocação de suplentes, ele descarta essa possibilidade pelo menos até o mês de junho. "Quero seguir com a estratégia  colocada. Anunciei na reunião e os deputados concordaram. Pelo menos nos primeiro meses de mandato não vamos convocar suplentes.   Isso é importante para contribuir com o esforço que estamos fazendo para a redução de despesas. Se Teresina tem essa condição é outra realidade. A realidade do Estado é de seguir com o mesmo propósito de equilíbrio", afirma. 

Wellington afirma que a ida do deputado Júlio Arcoverde para a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) é  uma questão com o prefeito Firmino Filho. "Essa é uma questão do município. O Estado vai seguir a sua parte. Isso não implica gastos para o estado. Vamos manter nossa posição”, disse o governador.

Matéria original

O governador Wellington Dias (PT) está reunido a portas fechadas com os deputados na Assembleia Legislativa na manhã desta segunda-feira (18). 

Dias comunicou que a meta de economia com reforma e cortes não é mais de R$ 300 milhões e, sim, de R$ 400 milhões para o ano de 2019. O governador apresenta as principais mudanças na  reforma administrativa que será votada na Alepi. 

Foto: Ascom

Segundo o governador, as mudanças adequam a organização administrativa do Estado ao Programa de Desenvolvimento Econômico e para a qualidade de vida dos piauienses. O objetivo, segundo Wellington Dias, é alcançar em 2022 um IDH de 0,7 considerado alto para o estado ter melhor desenvolvimento.

Na reunião, Dias comunicou a extinção de 19 órgãos estaduais e o corte de 2.300 cargos. O governador explicou o novo sistema de Segurança pela Classificação de Risco: Alto Risco, Médio Risco e Baixo Risco.

Dias informou que o sistema de Educação seguirá metas alfabetização de jovens e adultos e profissionalização em parcerias com municípios.

Veja tópicos: 


  • Sistema de Saúde e Saneamento  focado no aumento da expectativa de vida.
  •  Contrato de Gestão com Metas para cada Órgão e Equipe Técnica receberá qualificação adequada para maior eficiência - com sistema de acompanhamento e aferição.
  • Comissão de Licitações Unificada
  • Redução de Unidades de Gastos.
  • Novo SIAFE - Sistema Integrado de Administração Financeira do Estado, e integrado com o SIMO - Sistema Integrado de Monitoramento de Obras e Programas.
  • Reduzir em no mínimo 25% contratos em andamento, locação de veículos máquinas e equipamentos, material de consumo, eventos, viagens etc,  redução de despesas com energia e comunicação com PPP. Sob a coordenação da Comissão de Controle dos Gastos.

 

 

Flash Yala Sena e Lídia Brito
redacao@cidadeverde.com

Imprimir