Cidadeverde.com
Política

MDB fará convenção neste sábado para escolha da nova executiva

Imprimir

O deputado estadual, João Mádison (MDB) deixou claro em entrevista ao Jornal do Piauí, nesta sexta-feira (15), a necessidade de um entendimento sobre a formação do secretariado estadual. Ele também falou sobre a convenção estadual do partido, a ser realizada neste sábado (16) na sede do diretório regional, no bairro São João, de 9h as 13 horas. 

Mádison também revelou que o partido ensaia uma possível audiência com o presidente da República, Jair Bolsonaro, para apresentar as demandas do partido.  

"Nós vamos ter que dividir secretarias com outros deputados. Nós temos que ter essa compreensão e também saber que o Piauí está passando por um momento difícil. Nós precisamos, então, trabalhar para o Piauí sair disso". 

"Para que a gente possa estar buscando alternativas para Piauí. Não é porque o Bolsonaro não foi votado aqui, pela nossa base, que nós vamos deixar de procurá-lo para resolver os problemas do Piauí. Nós estamos ciente dos problemas que o Piauí passa". 


fotos: Letícia Santos


Sobre a convenção, ele convidou aos interessados a participarem do evento e citou alguns dos nomes da Executiva.

"Quero convidar a todos os MDbistas e os que não são. Estaremos elegendo a nossa executiva e o nosso diretório estadual. A nossa executiva será composta pelo deputado Marcelo Castro, será o nosso presidente, o deputado Severo, o nosso vice-presidente, o  deputado Santana será o diretor financeiro, eu continuo na secretaria geral" 

Reformas 

A reforma da previdência também foi tema da entrevista. O deputado comentou que ela precisa ser aprovada. "Temos que aprovar com mudanças, lógico que não pode ser como o Governo Federal quer, mas temos que aprovar. O Piauí precisa aprovar essa reforma. O Piauí não pode continuar pagando R$ 120 milhões todo mês, tirando dos seus cofres, para pagar os aposentados. Isso vai quebrar os estados. Todos os governadores estão cientes disso, lógico que não pode ser como o Governo Federal quer. Por exemplo, acabar com a aposentadoria das pessoas que são trabalhador rural, não pode acontecer. Não tem a menor possibilidade de passar, mas eu sei que ele colocou coisa ali para poder negociar", comentou. 



Armas 

Na oportunidade, João Mádison também falou sobre a questão do desarmamento e da tragédia que ocorreu em Suzano, em São Paulo, no qual 10 pessoas morreram. 

"Em relação as armas, o que o Bolsonaro fez foi, e é a mesma coisa que eu defendo, não podemos andar armado na rua, mas na sua casa ou na sua fazenda, precisa ter arma. Nós temos que observar que precisamos ter educação. Ter nossa responsabilidade. Saber com quem os nossos filhos andam. Os pais acompanhar os filhos e investir em educação", declarou. 

 

carliene@cidadeverde.com

Imprimir