Cidadeverde.com
Geral

Maternidade do Buenos Aires disponibiliza DIU para mulheres que desejam evitar gravidez

Imprimir

Foto: Ascom/FMS

A maternidade do Buenos Aires, localizada na zona norte de Teresina, implantou 105  DIU's (dispositivo intrauterino) de cobre em mulheres que desejam evitar uma gravidez, entre setembro do ano passado e março de 2019. Este método contraceptivo consiste na inserção de objeto em formato de "T" no útero da mulher e, nesse estabeleciemento, o procedimento é realizado nos períodos pós-parto e pós-aborto.

Ana Cláudia Resende, enfermeira obstetra da maternidade Buenos Aires, informa que o DIU é um método contraceptivo reversível, de boa eficácia e de longa duração (pode durar cerca de 10 anos). Ela alerta ainda para os cuidados após a sua colocação. “A mulher deve realizar exame de ultrassonografia um mês após a implantação do dispositivo e, frequentemente, fazer acompanhamento com ginecologista”, afirma.

Segundo Rosélia Sena, diretora da maternidade do Buenos Aires, a oferta do DIU na maternidade é uma estratégia que complementa as ações de saúde reprodutiva realizadas nas Unidades Básicas de Saúde da cidade. “Para ter acesso, basta que a mulher, durante atendimento na maternidade ou durante o pré-natal, manifeste interesse. Ela então receberá todas as orientações necessárias e após a colocação do DIU o acompanhamento também é garantido”, afirma.

O fluxo para ter acesso ao DIU é diferente nos casos em que as mulheres não estejam no ciclo gravídico-puerperal. “Ela pode se direcionar a uma das 90 Unidades Básicas de Saúde. Ali recebe orientações e consegue encaminhamento para ser atendida no Lineu Araújo, local que coloca o DIU de maneira planejada, em qualquer fase do ciclo menstrual, exceto se ela estiver grávida”, explica Mariluce Ferreira, diretora do Centro Lineu Araújo.

O DIU é contraindicado para mulheres com câncer de colo uterino, anormalidades uterinas; miomas que distorçam a cavidade uterina. O DIU também não pode ser inserido em vigência de infecções sexualmente transmissíveis, tais como clamídia, gonorreia e AIDS nos estágios clínicos 3 e 4; em caso de presença de infecção inflamatória pélvica, endometrite, cervicite mucopurulenta e tuberculose pélvica.

FMS disponibiliza gratuitamente outros métodos contraceptivos em Teresina

De acordo com Francisco Pádua, diretor de Atenção Básica da FMS, outros métodos contraceptivos são ofertados às mulheres na rede do SUS: “Nas Unidades Básicas de Saúde, disponibilizamos preservativos masculinos e femininos, pílula combinada, diafragma, anticoncepcional injetável, minipílula e pílula do dia seguinte. As mulheres devem buscar o médico da Unidade para escolher o método ideal para o seu perfil”, ressalta, informando que a laqueadora e vasectomia são métodos contraceptivos definitivos.

 

Da redação
redacao@cidadeverde.com

Imprimir