Cidadeverde.com
Geral

Jovem torturada tem dente arrancado e cabelo raspado em Teresina

Imprimir



Uma jovem torturada teve um dente arrancado e parte do cabelo raspado em Teresina. Familiares acreditam que a ordem dessa grave agressão partiu de dentro da Casa de Custódia, local em que o ex-companheiro e pai do filho da vítima está preso. Os parentes denunciaram o caso à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher - Sudeste (DEAM Sudeste). 

O pai da vítima falou sobre a tortura ao Jornal do Piauí, nesta terça-feira (23), e confessou que teme pela vida da filha, identificada como Poliana Alves de Abreu, de 24 anos. A agressão ocorreu na casa da jovem em fevereiro, antes do carnaval, no bairro Pedro Balzi, zona Sudeste de Teresina. 

Os cabelos e o dente não foram localizados nos cômodos e ao redor do imóvel. Os familiares supõem que eles serviram como prova ao mandante da agressão de que a tortura ocorreu conforme encomendada.  

"Chegaram dois rapazes em uma moto. Dos bandidos, não é? Pegaram e cortaram o cabelo porque ela tinha um cabelo bonito e grande. Para piorar ainda mais a situação, arrancaram o dente da frente com um alicate", disse o pai da vítima, que prefere não se identificar e mostrar o rosto no vídeo acima. 

Um dia após ser torturada, familiares relataram que a vítima tentou contra a própria vida. Para socorrê-la, as pessoas chegaram a arrancar a grade de um dos cômodos para entrar na casa. A vítima saiu de casa e está em local incerto. 

Pessoas próximas a família de Poliana relataram aos pais da jovem que ela sofria ameaças do ex-companheiro, que não aceitava o fim da relação. Poliana teria se recusado a continuar visitando o preso dentro da Casa de Custódia. 

"Foi um cochicho, que ele está preso na Casa de Custódia. Eu não sei como ele consegue ligar lá de dentro, mas todo dia ele ligava para ela. Não adiantava trocar de chip. Todo dia tinha ameaça de morte. O que ela me disse sobre a revolta dele é que ela não ia mais visitar ele. E foi o que ela deixou de fazer, e não foi mais", comentou o pai. 

O preso suspeito de ser mandante do crime foi transferido da Casa de Custódia; o novo local de cumprimento da pena por roubo não foi divulgado. Contra ele, agora há essa investigação pela DEAM Sudeste. À frente do caso, a delegada Alexandra de Sousa declarou que não se manifesta sobre investigações em andamento. 

Os familiares de Poliana registraram o segundo boletim de ocorrência contra o ex-companheiro. Dessa vez, por ameaça de morte. 

"Teve uma reunião de uma turma e lá tinha alguém que gosta de mim, que conhecem e sabem que não sou bandido. Me avisaram que não era nem para falar o nome dele e que a ordem agora era quebrar o pescoço dela. Eu só queria que ele deixasse ela em paz porque uma pessoa não pode namorar a outra forçada", diz o pai, preocupada com a filha.  

Carlienne Carpaso (com informações de Tiago Melo).
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir