Cidadeverde.com
Últimas

Após 15,7 mil casos no país de meningite, Sociedade de Imunizações alerta para vacinação

Imprimir

Foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde estuda implantar, ainda no segundo semestre deste ano, o terceiro turno de atendimento em Unidades Básicas de Saúde (UBS), especialmente para atender à demanda das salas de vacinação. A imunização é a melhor forma para prevenir contra as meningites, que ano passado teve mais de 15 mil casos no Brasil. 

Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério (PNI), Carla Domingues, mais de 50% das mães, que são as grandes responsáveis por levar os filhos aos postos de vacina, são arrimo de família e estão fora de casa nos horários de funcionamento das UBSs. 

“A Medida está dentro da estratégia de ampliar, cada vez mais, o acesso às vacinas e a cobertura vacinal em nosso país”, diz a coordenadora. Hoje o Brasil possui o mais importante programa público de vacinação do mundo, com 19 vacinas no calendário. Por ano são gastos pelo governo federal R$ 5 bilhões com a disponibilização de mais de 300 milhões de doses de vacinas.

Foto: Marcelo Vittorino

Ela reforça que o esquema vacinal precisa ser cumprido do começo ao fim para ser eficaz, o que significa ficar atento ao calendário desde as primeiras doses para recém-nascidos, passando por crianças, adolescentes, adultos e idosos. 

“Só assim é possível controlar e manter erradicada algumas doenças no Brasil”, complementa Carla Domingues, lembrando que 3 milhões de vida são salvas por ano graças às vacinas.

Meningites

Este ano, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) faz um alerta para a vacinação contra os vários tipos de Meningite. Na rede pública estão disponíveis vacinas para cinco tipos de Meningite –  BCG, as penta de células inteiras, Hib, VPC10 e contra a meningite meningocócica C (vacina conjugada).

Em 2018 foram confirmados 15.706 casos de meningite no país, desses 4.664 eram bacterianas, formas mais severas da doença. A taxa de mortalidade está caindo, mas ainda é alta. Uma em cada cinco pessoas que contraem a doença meningocócica morrem e entre 10% e 20% dos que sobrevivem ficam com sequelas como surdez, cegueira e amputações.

O Brasil foi o primeiro país a introduzir a vacina contra a meningite tipo C, no ano de 2010. “Depois disso, nós conseguimos reduzir em 2/3 o número de mortes provocadas pela doença. É a prova de como a vacinação tem sido eficiente e por isso precisa ser estimulada”, diz o presidente da SBIm, Juarez Cunha. 

Foto: Marcelo Vittorino

Ele também lembra que desde 2015 tem sido verificada em queda na cobertura vacinal de todas as vacinas, não só das que protegem contra as meningites e que isso pode ser uma falta de informação da própria sociedade, até mesmo do que dispõe gratuitamente a rede pública. 

Para a meningite C as doses devem ser aplicadas aos 3 meses, aos 5 meses e aos 12 meses, com reforço para adolescentes entre 11 e 14 anos.

O que é a meningite?

A meningite é a inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada por vírus, que são as formas menos agressivas, e as bactérias, que costumam ser mais graves. A do sorotipo C, se considerada todas as faixas etárias, é a mais comum no Brasil. Os tipos A,B,C, W e Y são os mais comuns no mundo.

A meningite meningocócica pode causar febre alta repentina, dor de cabeça intensa, rigidez no pescoço e vômitos.

Outras bactérias como a Pneumococos, a Haemophillus Influenzae b (Hib) e a da Tuberculose (bacilo de Koch) podem provocar meningite e com sintomas e sequelas graves. A pneumococos, por exemplo, é responsável por 15% das mortes de crianças menores de 5 anos e importante causa de complicações e mortes em idosos.


24 de abril é Dia Mundial de Combate à Meningite

Fake News

Preocupado com possíveis notícias falsas sobre a importância e a segurança das vacinas, o Ministério da Saúde lançou o número de Whatsapp para tirar quaisquer dúvidas sobre imunização. 

O telefone é 61-99289-4640. No site do Ministério da Saúde estão disponíveis todas as informações sobre o calendário de vacinação. O endereço é http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/vacinacao/calendario-vacinacao

No portal www.sbim.org.br também é possível obter as informações mais importantes sobre as vacinas que protegem e salvam vidas.

 

Nadja Rodrigues (Especial para Cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com

Imprimir