Cidadeverde.com
Geral

Pai diz que filha chegou a acordar após acidente no Chile

Imprimir

Foto: Divulgação / redes sociais 

O médico Jorge Alberto Trabulsi Lisboa, pai de Khálida Lisboa, 3, uma das duas crianças que morreu nesta segunda-feira (3), no Chile, após deslizamento de uma rocha, relatou a familiares que a filha chegou a acordar após o acidente.

"Ele conta que, por ser médico, prestou atendimento a filha e ela chegou a acordar, mas infelizmente não resistiu e perdeu os sinais vitais", disse o servidor público Luis Alberto Trabulsi Lisboa, tio e padrinho de Khálida.

Ela e a amiga Isadora Bringel, 7, que estudavam na mesma escola em Bacabal, distante 240 km de São Luís, no Maranhão, foram atingidas por fragmentos de rocha que se desprenderam de uma das montanhas da barragem de El Yeso, uma região turística localizada na região metropolitana de Santiago, capital do país andino

Luis Alberto informou que ainda não há confirmação sobre a liberação dos corpos. "A família está bastante abalada. O meu irmão está resolvendo as coisas burocráticas. A expectativa é de que os corpos cheguem aqui de sexta (7) para sábado (8)", informou.

A avó de Khálida é vice-prefeita de Bacabal. "O meu pai foi prefeito lá. Khálida era conhecida por todos. A cidade inteira está consternada", destacou Luis Alberto.

A mãe da criança, Lenne Trabulsi Lisboa, que estava com a filha no Chile, está grávida de sete meses. "Khálida é a primeira neta dos meus pais. Tem todo esse peso", contou o padrinho.

Isadora é filha do casal de médicos Marcelo e Slavya Bringel. O colégio Reis Magos, onde as crianças estudavam, suspendeu as aulas nesta terça (4). As atividades vão ser retomadas nesta quarta-feira (5).

Segundo o jornal La Tercera, do Chile, as vítimas teriam cruzado uma barreira de segurança antes de o acidente ser registrado. Elas estavam acompanhadas dos pais. Outras pessoas saíram feridas do local, mas o estado de saúde delas não foi divulgado.

Khálida morreu no local. Isadora foi resgatada por um helicóptero ainda com vida e levada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos pouco tempo depois de ser socorrida.

As famílias saíram de Bacabal no dia 29 de maio e retornariam nesta terça-feira ao município.

Fonte: Folhapress

Imprimir