Cidadeverde.com
Esporte

Fortaleza visita o Grêmio em rotina de maratonista na Série A

Imprimir

A expressão "maratona de jogos" ganhou sentido pleno com o Fortaleza, que faz neste sábado (8), em visita ao Grêmio, sua 13º partida em um período de 42 dias -número de ironia à parte para maratonistas.

Iniciada em 28 de abril, na estreia do Campeonato Brasileiro, a sequência envolveu ainda jogos pela Copa do Brasil, na qual foi eliminado nas oitavas, e na Copa do Nordeste, em que se sagrou campeão, com média de um compromisso a cada pouco mais de três dias -3,23 em divisão simples.

No período, os intervalos de descanso entre os jogos foram de, no máximo, três dias. A última vez em que teve tempo maior de preparação foi justamente antes da maratona ter início, nos seis dias que sucederam a conquista do Cearense, em 21 de abril.

Recém-promovido à Série A, o time de Rogério Ceni é quem mais jogou entre seus concorrentes desde o começo da competição, junto de Athletico-PR e Atlético-MG -há, no entanto, algumas diferenças para os atleticanos.

Os mineiros só vão acumular 13 jogos em 44 dias e, em sua sequência, tiveram dois intervalos de quatro dias de descanso entre partidas; já os paranaenses tiveram o trunfo de usar a equipe de aspirantes no estadual, o que privou o time principal de desgaste, além de permitir uma pré-temporada maior.

O time nordestino ainda acumula o cansaço de longas viagens, já que até então só fez jogos fora de casa nas regiões Sudeste e Sul, o que se repetirá pela oitava rodada. Em Caxias do Sul, no estádio Centenário, terá o desafio extra de enfrentar um Grêmio pressionado, que ocupa a zona de rebaixamento.

"É um time bastante desgastado, que vai ter que viajar de novo, para pegar um outro time descansado, que também precisa de pontos e que não jogou no meio da semana. Infelizmente, não tivemos muita sorte na tabela, com muitas viagens. Vamos se entregar, mas, logicamente, é um time cansado, sem muitas alternativas e com algumas lesões", lamentou Ceni, em discurso também posto à exaustão.

O treinador do Fortaleza seguirá com a estratégia de alternar escalações. Já o Grêmio poderá usar o que tem de melhor à disposição, o que não inclui o atacante Luan, ainda sem condições físicas ideais, segundo explicou o técnico Renato Gaúcho.

Com sete pontos, dois a mais que o Grêmio, o Fortaleza mira, além do rival do gaúcho, a pausa no calendário para a Copa América. Antes, no entanto, ainda terá confronto com o Cruzeiro, na próxima quarta (12) -em sequência que já poderá ser chamada de ultramaratona.

PAULO BATISTELLA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Imprimir