Cidadeverde.com
Cidades

Mais de 15 alunas têm surto coletivo em escola e são levadas ao hospital

Imprimir

Delegacia de Porto (Foto: PCPI)

Pelo menos 20 alunas da Unidade Escolar Otávio Falcão, situada na cidade de Porto, distante 183 Km  de Teresina, sofreram uma espécie de surto psicológico na escola. O caso aconteceu nessa segunda-feira (10) enquanto as estudantes assistiam aulas. 

As meninas, que possuem idades entre 14 e 15 anos,  tiveram que ser atendidas no hospital da cidade.  O delegado Renato Pinheiro, titular da Delegacia de Porto,informou ao Cidadeverde.com que, a princípio, não vai abrir inquérito para investigar o caso. 

Ele conversou com a direção de escola na manhã desta terça-feira (11) e disse que não há indícios de que as meninas tenham sido dopadas ou envenenadas. 

O delegado conta que as estudantes sofreram crises simultâneas, apresentando sudorese, pressão baixa, palidez, coração acelerado e choravam muito. Algumas delas, já faziam tratamento psicológico e eram atendidas regularmente no hospital da cidade por sofreram distúrbios como depressão e síndrome do pânico. 

“As alunas estavam numa sala e começaram a passar mal. Daí, alunas de outra turma também ficaram nervosas e passaram mal junto com elas”, disse o delegado. Na escola há uma especulação de que o “surto coletivo” tenha causas espirituais. 

O Cidadeverde.com apurou que na sala de aula se comentava sobre jovens que já tinham cometido suicídio, quando uma das alunas teria incorporado um espírito. 

A reportagem tentou, mas não conseguiu contato com a direção da escola. A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informou que vai apurar os fatos que ocasionaram a internação das alunas.

 Em nota, a Seduc descarta qualquer forma de intoxicação, seja ela alimentar ou por ingestão da água disponível na escola.  A secretaria garante que irá enviar uma equipe multiprofissional para fazer uma avaliação completa da situação e descobrir as possíveis causas da ocorrência.

 

Carliene Carpaso e Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir