Cidadeverde.com
Esporte

Rivais por vaga no City, Jesus e Agüero levam duelo para Copa América

Imprimir

A semifinal da Copa América entre Brasil e Argentina pode ser decidida em um duelo que acontece há dois anos e meio no Manchester City.

Gabriel Jesus, 22, e Agüero, 31, que disputam vaga no ataque do Manchester City, são armas ofensivas das seleções que se enfrentarão no Mineirão, em Belo Horizonte, a partir das 21h30 (de Brasília) desta terça-feira (2).

No histórico recente, o argentino leva vantagem. Foi ele o centroavante titular da equipe de Pep Guardiola ao longo da temporada europeia, com números expressivos. Foram 32 gols em 46 jogos, com uma ótima média de 0,70 por partida, contra 21 bolas colocadas na rede pelo brasileiro em 47 participações (0,45).

Vários dos gols de Agüero também foram mais importantes. Ele marcou 21 vezes na campanha que rendeu ao City o título do Campeonato Inglês. Jesus, que foi titular na liga nacional apenas oito vezes, dividiu sua artilharia também entre jogos de torneios menores, como a Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa.

Na Copa América, o atleta mais experiente também está em vantagem. Fez um gol, na vitória por 2 a 0 da Argentina contra o Qatar, o que não chega a ser uma marca espetacular. Mas é mais do que conseguiu seu concorrente em Manchester, que até aqui repete o jejum em que se manteve durante toda a Copa do Mundo de 2018.

No Mineirão, não será por uma vaga no time que eles brigarão. A disputa é pelo direito de disputar a final da Copa América. Não houve aposta entre eles, mas o que Jesus espera é conquistar a classificação, de preferência com gol, para poder encontrar sorridente seus companheiros argentinos no início da próxima temporada no City.

"São duas seleções gigantes, com um histórico muito bom. Não fiz aposta com o Agüero. É ele defendendo o país, dele; eu, o meu. Mas é óbvio que, quando eu voltar à Inglaterra, vou querer poder zoar o Agüero, o Otamendi também. Espero zoar muito os dois", sorriu o brasileiro, que, brincadeiras à parte, colocou o colega como referência.

"No momento em que decidi deixar o Palmeiras e buscar uma evolução na Europa, com o treinador que é o Guardiola e com os companheiros que passaria a ter, pensei em tudo isso. 

E o Agüero, óbvio, eu já via jogar na Premier League, fazendo gols, sendo artilheiro. Ter um companheiro desse nível brigando pela posição faz você aprender. É gente boa, mas, como falei, é ele defendendo o dele, e eu, o meu", concluiu Jesus.

ALEX SABINO E MARCOS GUEDES
BELO HORIZONTE, DF (FOLHAPRESS) 

Imprimir