Cidadeverde.com
Últimas

Flávio Nogueira é suspenso do PDT e reage: “Não me arrependo de nada”

Imprimir

Foto: arquivo Cidadeverde.com

O deputado federal Flávio Nogueira e mais sete deputados do PDT são alvo de processo de suspensão da comissão de ética nacional do partido após contrariarem a sigla e votarem a favor da reforma da Previdência, no primeiro turno, na Câmara.

A decisão do PDT estabelece que os oito deputados estão com suas atividades partidárias suspensas até a deliberação do diretório. Ou seja, nos próximos meses, esses parlamentares não podem usar o partido e perdem as funções que têm por causa da legenda.

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o deputado disse que já esperava a decisão e que votará à favor da reforma da Previdência no segundo turno da votação na Câmara. “Eu repito, não me arrependo, votei e farei tudo novamente. Estou com consciência tranquila e não vou trair meu povo”.

O deputado Flávio Nogueira disse ainda que seu voto se baseou em apoios de prefeitos e entidades civis. “Essa reforma não é para os servidores, mas para os desempregados. A economia vai soerguer e essa reforma é necessária”.

Ele ressalta que essa reforma não é do presidente Bolsonaro e foi modificada na Câmara.

Com a suspensão do partido, o parlamentar brinca que está se sentindo no colegial. “Voltei ao tempo do ginásio, fui suspenso. Vou manter minha decisão e no segundo turno vou votar a favor da reforma”, reafirmou o parlamentar.

PDT Nacional

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse esperar que os oito deputados mudem de posição no segundo turno da votação da reforma na Câmara, em agosto.

"Os oito parlamentares estão com suas atividades partidárias, de representação na Câmara suspensas. Nenhum desses oito pode falar em nome do partido, ter função em nome do partido, pode participar da direção do partido até a decisão final do diretório nacional", disse Carlos Lupi.

Pelo estatuto da legenda, as punições variam desde uma advertência até a expulsão. A comissão tem 45 dias para elaborar um parecer consultivo e a decisão cabe ao diretório nacional, que só deve ser convocado entre setembro e outubro.

"Como o processo não está esgotado, tem o segundo turno, e acreditamos que o ser humano é o único ser vivo capaz de evoluir, quem sabe alguns evoluem, ouvem o que está se fazendo de maldade com a base da sociedade que ganha até R$ 2.500 e voltem atrás e votem com o partido", disse Lupi.

Votação

No dia da votação, 8 dos 27 deputados presentes votaram a favor da reforma: Tabata, Alex Santana (BA), Subtenente Gonzaga (MG), Silvia Cristina (RO), Marlon Santos (RS), Jesus Sérgio (AC), Gil Cutrim (MA) e Flávio Nogueira.

 

Flash Yala Sena (Com informações da Folhapress)

[email protected]

Imprimir