Cidadeverde.com
Geral

Silencioso, mercado de peixes ornamentais cresce em Teresina e vira referência

Imprimir
  • betta6.jpg Hérlon Moraes
  • betta5.jpg Hérlon Moraes
  • betta4.jpg Hérlon Moraes
  • betta3.jpg Hérlon Moraes
  • betta2.jpg Hérlon Moraes
  • betta1.jpg Hérlon Moraes

Um mercado silencioso e lucrativo que muita gente não conhece em Teresina.  O comércio de peixes ornamentais ganhou força nos últimos anos e tornou a capital do Piauí referência para outros estados. Pelo manejo fácil e rápido, o Betta terminou despontando na preferência dos aquaristas. Hoje, já são vários criadouros na cidade exportando exemplares para todo o país.

O Betta é originário do sudeste asiático. O macho tem como característica forte a agressividade e a adaptação para viver em ambientes pequenos. Possui nadadeiras grandes e coloridas. Pelo temperamento forte, é visto frequentemente sozinho nos aquários ou betteiras, como são chamados os recipientes. Por incrivel que pareça é o valentão que constroi o ninho e cuida dos ovos após fertilizá-los. As fêmeas, que precisam ser retiradas do mesmo ambiente do macho após expelir os ovos, são dóceis e convivem facilmente com peixes de outras espécies.

Empresário no ramo da construção civil, Leonardo Macedo viu o hobby de criar peixes se tornar um grande negócio em 2018. Incentivado pelo filho de 11 anos, ele transformou o quintal de casa numa espécie de maternidade de Bettas.

"Eu sempre criei animais. O betta eu já tinha criado quando criança e deixei. No ano passado foi quando voltei a querer criar porque meu filho demonstrou interesse. Eu queria criar um vínculo bacana entre pai e filho e algo que ele tivesse responsabilidade. Ele tem que alimentar, cuidar. Depois comecei a pesquisar sobre manejo", contou ao Cidadeverde.com.

E foi nessa pesquisa que ele descobriu novas técnicas que facilitam a criação. A famosa água adormecida de um dia para o outro com o objetivo de eliminar o cloro, já não é mais dor de cabeça.

"Hoje já temos condicionadores de água, ou seja, você não precisa mais descansar a água como antigamente. Hoje a gente  já faz uma água em 15 minutos livre de metais e cloro. Saindo da torneira você prepara a água. O betta tem a necessidade de que você coloque um pouco de sal na água. Com isso elimina as bactérias e deixa o peixe mais saudável. Ele tem essa tolerância com água salobra", explica.

Os Bettas criados por ele no passado são conhecidos até hoje como Bettas Pet, aqueles vendidos em lojas. Com a evolução dos criadores o peixe passou a seguir um padrão de qualidade, as chamadas linhagens.

"O Betta Pet não tem a seleção para atingir o seu melhor. Por exemplo: a abertura de calda não atinge os 180º. Não tem a mesma qualidade de napa. Eles não conseguem manter a membrana aberta sem que ela rasgue. Não tem simetria. Quando a gente fala em Betta de linhagem é puramente estético. É beleza. Você tem que buscar um peixe com a menor quantidade de defeitos. A busca pelo padrão perfeito é muito grande", afirma.

Leonardo lembra que o primeiro exemplar de Betta de linhagem adquiriu de uma criador de João Pessoa, na Paraíba. De lá para cá não parou mais e, ao invés de comprar, agora fornece para todo o país.


Macho aguarda os ovos eclodirem no ninho

"Eu tenho uma construtora e os Bettas eram como hobbie, mas como começaram a reproduzir virou negócio. Eu chego a vender R$ 2.500 por mês. Vendo pro Brasil inteiro. Já enviei peixe para o Rio Grande do Sul, Pernambuco, Pará, Ceará", ressalta.

Segundo o empresário, o custo-beneficio de um bom exemplar é extremamente em conta. "Um betta de linhagem custa em média 70 reais. Com mais 65 reais você adquire um aquário todo montado. Com 20 reais você compra ração para uns 3 meses", destaca.

Beleza e competição

A beleza dos Bettas chama tanto atenção que os criadores do país fundaram um circuito de competição. Teresina, por exemplo, será sede da 5ª etapa do Circuito Norte e Nordeste de Bettas de Linhagem. O evento vai acontecer nos dias 16, 17 e 18 de agosto no Shopping Riverside. Na ocasião vai acontecer a I Exposição de Bettas de Linhagem do Piauí. Criadores de vários estados já confirmaram presença.

"Será a primeira exposição de peixes ornamentais. Já temos mais de 30 criadores inscritos. Só do Piauí são 11 competidores", afirma.

A busca pela qualidade de um exemplar é um trabalho constante. "Uma ninhada de 400 filhotes você vai chegar a 20 no máximo que você pode reproduzir para melhorar o padrão genético. Aqui existe uma estrutura. Temos criadores aqui com estrutura que não existe em outros estados. Estamos falando de hectares de produção de peixes. O pessoal vem buscar aqui", destaca.

Com cerca de 10 mil peixes em casa entre filhotes, machos e fêmeas, Leonardo diz que qualquer pessoa pode ter um Betta em casa.

"Hoje você compra uma planta viva a vácuo. Você recebe e planta no seu aquário. O Betta de linhagem é um peixe mais bem alimentado e tem vida prolongada, em média  2 anos. Ele fica até 3 dias sem alimentar", lembra.

Quem quiser adquirir exemplares diretamente da ásia vai gastar um pouco mais. "O Custo não é baixo. A importação da Ásia chega em torno de 1.400 reais o casal", informa o criador, que já teve 9 dos dez peixes que levou para uma exposição em alagoas premiado.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir