Cidadeverde.com
Política

Teresina: corte do bolo reúne 2 mil pessoas e termina em protesto

Imprimir
  • bolo5.jpg Analice Borges
  • bolo4.jpg Analice Borges
  • bolo3.jpg Analice Borges
  • bolo2.jpg Analice Borges
  • bolo1.jpg Analice Borges

Atualizada às 17h22

Cerca de duas mil pessoas marcaram presença nesta sexta-feira (16) no corte do bolo de aniversário de 167 anos de Teresina na praça do bairro Poty Velho. O evento atraiu moradores da região e reuniu vereadores e gestores públicos. Houve manifestação.

Com oito metros de comprimento, 70 centímetros de largura e 167 quilos, o bolo teve como temática “Aqui se faz futuro”. Cerca de 15 mulheres trabalharam na distribuição do bolo. A música ficou por conta da banda 16 de Agosto. Agentes da Guarda Municipal e Strans estiveram no local. 

A pensionista Dalva Saldanha, 57 anos, chegou a praça às 12h. Pela quinta vez no evento, Dalva trazia vasilhas na mão para levar pedacos para seus familiares. "O bolo é nosso. É uma homenagem muito boa ao nosso bairro que foi o começo de Teresina", disse.

O encerramento da programação de aniversário acontece no Theatro 4 de Setembro, com a solenidade de Outorga da Medalha do Mérito Conselheiro José Antônio Saraiva, que começa às 20h, onde serão homenageadas personalidades e instituições de Teresina. Nesse ano, serão homenageadas 31 pessoas e uma instituição.

Manifestação 

Aos gritos de "Firmino ditador massacra morador" manifestantes protestaram durante o corte do bolo. O ato denunciava as ações do programa Lagoas do Norte que tem desalojado moradores do bairro.

Foto: Analice Borges


Logo após o corte, a Guarda Municipal perseguiu um dos manifestantes que foi detido.O comandante da Guarda Municipal, capitão Monteiro, exolicou que o homem foi levado para a Central de Flagrantes por desobediência. "Ele estava com  objetos na bolsa e queria lançar contra o prefeito Firmino Filho",disse.

Segundo os manifestantes, o rapaz teria lançado um bolo contra o prefeito. O jovem disse ser da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

"Manifestei contra as remoções do governo fascista. Eles vieram com toda truculência atrás de mim. Acho injusto o que o governo está fazendo. Não sou bandido, não sei o que estou fazendo aqui", disse o rapaz algemado em cima da viatura da Guarda Municipal.

Questionado sobre o ato, Firmino disse que a manifestação era política. "Isso é política, está próximo das eleições e estão fazendo política", disse. 

Os manifestantes denunciavam as famílias que estariam sendo desalojadas por conta da segunda fase do programa Lagoas do Norte.

 

 

Flash Valmir Macêdo
redacao@cidadeverde.com

  • manifestacao_lagoas_do_norte.jpg Analice Borges
  • manifetacao.jpg Analice Borges
  • manifestacao_poti.jpg Analice Borges
  • manifestacao_lagoas.jpg Analice Borges
  • lagoas_manigestação.jpg Analice Borges
Imprimir