Cidadeverde.com
Esporte

Bruno Henrique brilha, Diego Alves pega pênaltis, e Flamengo goleia o Vasco

Imprimir
  • vasco-flamengo-serie-a-1.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-2.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-3.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-4.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-5.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-6.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-7.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-8.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-9.jpg Alexandre Vidal / Flamengo
  • vasco-flamengo-serie-a-10.jpg Alexandre Vidal / Flamengo

Convocado para a seleção brasileira nesta sexta (16) e herói do Clássico dos Milhões neste sábado (17). Com dois gols do atacante Bruno Henrique, o Flamengo venceu o Vasco por 4 a 1 -Castán, Gabigol e Arrascaeta completaram o placar-, chegou aos 30 pontos e passou, momentaneamente, o Palmeiras, alcançando a segunda colocação, com dois pontos atrás do Santos.

Quem também brilhou foi o goleiro Diego Alves, que defendeu dois pênaltis -os dois no segundo tempo, assinalados com o auxílio do VAR-, um cobrado por Pikachu e outro por Bruno César.

Já o Vasco, permanece com 17 pontos, na 15ª colocação, mas sem chance de perder posição nesta rodada, uma vez que o Fluminense, 16º colocado, caso vença, só chega a 15 pontos.

Na próxima rodada, o Vaco recebe o São Paulo em São Januário, enquanto o Flamengo visita o Ceará.

Talles Magno foi titular no clássico depois de ser o pivô de uma polêmica entre Vasco e CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Convocado para dois amistosos com a seleção brasileira sub-17, o jovem não foi liberado pelo clube. A CBF, por sua vez, também não o dispensou. O Vasco conseguiu a liberação do jogador apenas na manhã deste sábado.

Em campo, o jovem fez boas jogadas e conseguiu dar movimentação ao setor ofensivo da equipe comandada por Luxemburgo.

O Vasco conseguiu levar perigo pelo lado direito e em quase todas as jogadas com a contribuição de Pikachu, que, diante dos desfalques, voltou a ser utilizado como ponta. Em lance individual, ele chegou a acertar o travessão do gol defendido por Diego Alves. No segundo tempo, perdeu pênalti, mas, logo depois, acabou cobrando escanteio que gerou o único gol vascaíno.

O atacante Bruno Henrique, convocado por Tite nesta semana, foi um dos destaques do Flamengo no jogo. O jogador conseguiu levar mobilidade ao setor, marcou dois gols e ainda sofreu o pênalti que acarretou o quarto gol do Flamengo

Jogando como o homem mais centralizado do ataque, Marquinho apareceu pouco e não conseguiu ajudar. Quando buscou auxiliar o sistema defensivo, se atrapalhou dentro da pequena área e, por pouco, não começou uma jogada que terminou em gol do Flamengo.

Já o zagueiro espanhol Pablo Marí teve alguns erros de posicionamento que, por pouco, não foram cruciais. O defensor deu espaço e foi pelo setor esquerdo da defesa que Raul e Pikachu quase conseguiram abrir o placar para o Vasco.

O técnico Vanderlei Luxemburgo optou por uma estratégia de atuar mais compacto na marcação, no aguardo do Flamengo, e sair em velocidade. Em certo momento do primeiro tempo, a opção deu certo e o Vasco foi superior por uns minutos, mas, aos poucos, a falta de criatividade do meio de campo ficou evidente e passou a pesar.

Além disso, mesmo "atrás da linha da bola", o time de São Januário não conseguiu encaixar uma marcação que anulasse os pontos fortes do Flamengo, que trocava passes com facilidade.

Após o segundo gol do Flamengo, o que se viu foi um Vasco assustado e desorganizado em campo, tendo de ficar correndo atrás da bola.

Já Jorge Jesus optou pela manutenção de Gerson na direita, deixando Everton Ribeiro como opção. O sistema ofensivo funcionou com a movimentação dele, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol, principalmente pelo fato de o Vasco não ser um time de forte marcação. No segundo tempo, o modo de atuar fez o Vasco ficar acuado.

Do outro lado do campo, porém, a defesa voltou a mostrar falhas de marcação, principalmente nas jogadas mais velozes. No primeiro tempo, o lado esquerdo sofreu com as investidas do adversário. Na saída de bola, algumas falhas puderam ser apontadas também.

O clássico começou "picotado", com os times presos entre as intermediárias por conta dos erros de passes e as faltas cometidas pelos dois lados.

Enquanto o Flamengo buscava marcar pressão e dificultar a saída de bola do Vasco, o time vascaíno apostava nos avanços em velocidade pelas pontas.

Com os times mais "assentados", a equipe de São Januário teve um momento melhor no jogo e duas chances claras de abrir o placar: uma com Raul, que Diego Alves defendeu, e outra com Pikachu, que carimbou o travessão.

Aos poucos, o equilíbrio voltou ao duelo e o Flamengo passou a criar dificuldades ao adversário. Quando o primeiro tempo caminhava para o final, Bruno Henrique, convocado por Tite para os amistosos da seleção brasileira, tabelou com Arrascaeta e bateu colocado, fazendo o primeiro gol da partida.

O mesmo Bruno Henrique, logo no começo do segundo tempo, balançou a rede novamente e fez o Flamengo abrir vantagem.

Em uma jogada pela direita, Tiago Reis cruzou e a bola pegou no braço de Thuler. Após análise no VAR, o pênalti foi marcado. Pikachu foi para a cobrança e Diego Alves defendeu. Na cobrança de escanteio, porém, enquanto a torcida rubro-negra ainda celebrava a defesa, Castan subiu mais alto que a defesa e fez para o Vasco.

Com o gol, o Vasco tentou "voltar para o jogo", mas o objetivo foi rapidamente frustrado. Pouco depois, a zaga falhou e Bruno Henrique cabeceou, obrigado Fernando Miguel a fazer boa defesa. No rebote, Gabigol deixou o dele. Foram três gols em 18 minutos.

O Vasco teve outro pênalti assinalado com o auxílio do VAR. Desta vez, quem foi para a cobrança foi Bruno César, mas o resultado final não foi diferente. Diego Alves conseguiu a defesa. No contra-ataque, pênalti para o Flamengo: Arrascaeta cobrou e fez o quarto do time do Flamengo.

Com o placar praticamente definido, a torcida do Flamengo começou a gritar "olé" e pedir mais um gol.

Ao apito final, o clima esquentou em campo e houve empurra-empurra entre os jogadores, mas outros jogadores chegaram e acalmaram os ânimos.

VASCO
Fernando Miguel, Cáceres (Bruno César), Oswaldo Henriquez, Leandro Castan e Henrique; Richard, Raul e Lucas Mineiro (Andrey); Yago Pikachu, Talles Magno e Marquinho (Tiago Reis). T.: Vanderlei Luxemburgo
FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei, Thuler, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Cuéllar, Gerson (Everton Ribeiro) e Arrascaeta (Piris da Motta); Bruno Henrique e Gabigol (Berrío). T.: Jorge Jesus
Estádio: Mané Garrincha, em Brasília
Juiz: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Público e renda: 65.418 pessoas e R$ 5.285.443,00
Cartões amarelos: Rodinei e Piris (FLA)
Gols: Bruno Henrique, aos 41 minutos do primeiro tempo (FLA), Bruno Henrique, aos 5 minutos do segundo tempo (FLA), Leandro Castan, aos 13 minutos do segundo tempo (VAS), Gabigol, aos 16 minutos do segundo tempo (FLA) e Arrascaeta, aos 37 do segundo tempo (FLA).


Fonte: UOL/FOLHAPRESS

 

Imprimir