Cidadeverde.com
Últimas

546 audiências e um júri popular serão realizados na "Semana Justiça pela Paz em Casa"

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI) dá início nesta segunda(19) à 14ª Semana Justiça pela Paz em Casa, iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceira com os tribunais brasileiros. No Piauí, a Semana contará com a realização de 546 audiências de processos relacionados à violência doméstica e familiar contra a mulher e de um júri popular para julgamento de feminicídio na comarca de Parnaíba, além de atividades socioeducativas com enfoque nesta temática. A jornada acontecerá nos turnos manhã e tarde, e segue até a sexta-feira (23).

A Semana da Justiça pela Paz em Casa foi criada pelo CNJ em 2015, com o objetivo de ampliar a efetividade da Lei Maria da Penha (Lei n. 11.340/2006) e de fomentar ações preventivas e de enfrentamento à violência contra a mulher.

Nesta 14ª jornada, das 546 audiências agendadas no Piauí, 174 serão realizadas na Teresina e as demais, em 19 comarcas do interior. 

Dentre as atividades socioeducativas a serem realizadas, tem destaque o projeto “Mãos emPENHAdas contra a Violência”, organizado pela Coordenadoria da Mulher do TJ-PI. O projeto consiste em capacitar mulheres profissionais da área de beleza, que lidam no dia a dia com clientes mulheres, para serem multiplicadoras de informação sobre a violência de gênero feminino e, ainda, treinar essas profissionais acerca da identificação de sinais de violência em suas clientes, a fim de aconselhá-las da melhor forma quanto às formas de denúncia e de apoio psicossocial existentes. 

Parceiros

Para a execução dos trabalhos, o Poder Judiciário piauiense, por meio da Coordenadoria da Mulher, conta com a parceria de órgãos do Sistema de Justiça e da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, como o Ministério Público do Estado do Piauí, a Defensoria Pública do Estado do Piauí, a Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Piauí, a Secretaria Estadual de Políticas Públicas para Mulheres, além de outras instituições e movimentos sociais de proteção à mulher.

 

[email protected]

Imprimir