Cidadeverde.com
Geral

Obras de duplicação das BRs 343 e 316 são retomadas, diz Dnit

Imprimir

Foto: Letícia Santos/Arquivo

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Ribamar Bastos, confirmou ao Cidadeverde.com que as obras de duplicação da BR 343 e da BR 316 foram retomadas nesta segunda (19). A finalização das duas duplicações é uma cobrança antiga dos moradores da região, que chegaram a denunciar diversos problemas como a falta de iluminação e de buracos na via.

A retomada das obras está sob jurisdição do Departamento de Estradas e Rodagem (DER). O Cidadeverde.com também entrou em contato com o gerente de construção da BR-343, pelo DER/PI, Matias Sales. Ele declarou que os "equipamentos já estão no canteiro de obras", o que anima a expectativa dos moradores.

Ribamar Bastos acrescentou que "a previsão para a conclusão de obras para a BR-316 é de 18 meses e de 08 meses para a BR 343".

As duas obras de duplicação estão paradas desde 2018. A retomada acontece com a liberação de recursos ligados ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). 

Há nove anos moradora do bairro Portal da Alegria, na zona Sul de Teresina, Simoni Braga, não esconde o incômodo em ter que transitar todos os dias pela BR-316.  “É um absurdo o tempo, os transtornos e os prejuízos financeiros que passamos nessa rodovia, além dos perigos de acidente", diz. 

Na BR-343, o DER/PI é responsável por 9,67 km: do balão da Ladeira do Uruguai até 2 km depois do posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em direção a Altos, a partir desse ponto segue sob jurisdição do DNIT. O gerente de construção do DER, Matias Sales, explicou que dos 9,67 km apenas 5 km (sentindo Altos – Teresina) foram duplicados, mas falta sinalização. 

O DER/PI deverá duplicar 8,42 km da BR 316, do balão da Casa de Custódia Professor José Ribamar Leite até 1.500 metros após o posto da PRF em direção a Demerval Lobão. Desse total, falta duplicar 3,5 km. Também compreende a duplicação da BR-316, e que falta ser executado: a implantação do viaduto da rótula do Porto Alegre – Vila Irmã Dulce e duas passagens de desnível (uma para acesso ao aterro sanitário e outra próximo ao KM 8,5), além de três passarelas para pedestres. 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir