Cidadeverde.com
Esporte

Neymar só volta a jogar pelo PSG se resolver situação com clube, diz Tuchel

Imprimir

A situação de Neymar permanece indefinida no PSG, conforme explicou o técnico Thomas Tuchel em entrevista coletiva na manhã deste sábado (24).

O treinador alemão despistou ao ser questionado se o atacante estaria entre os relacionados para o jogo contra o Toulouse, neste domingo (25), pela terceira rodada do Campeonato Francês.

Após o astro voltar a treinar normalmente com seus companheiros na última semana, Tuchel indicou que conta com o brasileiro para o jogo desde que ele resolva sua situação junto à diretoria do clube francês. No momento, três clubes brigam pela contratação de Neymar: Real Madrid, Barcelona e Juventus.

"Todos os jogadores que treinaram estão disponíveis. Mas tudo depende. A primeira coisa que posso dizer é que ele está em forma. Fez uma boa semana, com intensidade.

Fez os treinos todos com bom estado de espírito. Mas, por outro lado, a situação entre ele e o clube segue a mesma. A posição do clube é a mesma. Se as coisas mudarem e ficarem mais claras amanhã, ele pode jogar. Caso contrário, não vai (jogar)."

Ao ser questionado pelos jornalistas se a possível presença do atacante significaria que ele permaneceria no clube, Tuchel adotou tom evasivo. Na sequência, o técnico também evitou responder se o atacante estava interessado em voltar a jogar pelo clube francês.

Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, Neymar não tem interesse de atuar pelo PSG e continua empenhado em deixar o clube. Na última partida no Parque dos Príncipes, ele sequer foi ao estádio.

A janela de transferências está aberta até o dia 02 de setembro, data limite para que uma negociação seja concretizada.

"Só posso dizer que vocês devem falar com o Leonardo (diretor esportivo do clube) sobre isso. Ele está em forma e é possível jogar, sim, se a situação estiver clara com o clube", explicou.

O meio-campista Verratti, que falou antes do técnico, analisou a situação do colega brasileiro.

"Sou próximo a ele, mas isso é particular. Não falo para o Neymar nada, e ele que tem que falar (sobre futuro), não eu. Quero que ele fique aqui com a gente, pois tem muita qualidade. Não teve chance nos dois anos aqui, passou muito tempo fora em jogos decisivos. 

Ele é como Cristiano Ronaldo e Messi, faz jogos decisivos. Mas em 10 dias todo mundo vai saber se ele fica ou não. Não é amanhã que tudo vai terminar", concluiu o volante.

O PSG enfrenta o Toulouse fora de casa, no domingo (25), às 16h (de Brasília), pela terceira rodada do Campeonato Francês. O clube da capital ocupa a oitava colocação no torneio nacional com três pontos. O líder é o Lyon, que tem 100% de aproveitamento até aqui.

JOÃO HENRIQUE MARQUES
PARIS, FRANÇA (UOL/FOLHAPRESS) 

Imprimir