Cidadeverde.com
Geral

PRF aponta que médico dirigia acima da velocidade permitida

Imprimir

Foto: Reprodução Instagram Tovarrluzz

A Polícia Rodoviária Federal (PRF-PI) ainda apura as causas do acidente que matou o otorrinolaringologista Tovar Vicente da Luz, 36 anos, no início da manhã de ontem (10). Ele se chocou frontalmente com uma carreta carregada de cimento na BR-343. Segundo o inspetor Alexsandro Lima, coordenador de Comunicação da PRF-PI, já é possível afirmar que o médico estava acima da velocidade permitida na via.

"O que se pode observar pelo grau de amassadura e total destruição do veículo de passeio é que houve o grande despreendimento de energia cinética, o que pode comprovar que na soma das velocidades, o veículo de passeio com certeza estava com excesso de velocidade", disse o inspetor da PRF. 

O impacto foi tão grande que destroços do carro do médico ficaram espalhados pela rodovia. A vítima ficou presa às ferragens e foi necessário resgate do Corpo de Bombeiros. 

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Alexsandro Lima acrescenta que, até o momento, está descartada uma possível ultrapassagem irregular.

"A príncipio, não conseguimos constatar o envolvimento de um terceiro veículo no momento e local do acidente. As informações que já temos é que houve uma invasão por parte do veículo de passeio na faixa contrária vindo colidir frontalmente com o veículo de carga e fatalmente ocasionou esse acident", informou o inspetor. 

O boletim da PRF com as causas do acidente deve sair em seis dias. 

Tovar Vicente havia saído de casa em Teresina e se dirigia para plantão médico no município de Altos, a 37 km da Capital. O acidente causou grande comoção.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir