Cidadeverde.com
Esporte

Raí minimiza lesões no São Paulo e projeta retomada no Brasileiro

Imprimir

Questionado sobre os recorrentes desfalques por lesão do São Paulo, o executivo de futebol tricolor, Raí, minimizou, nesta quinta-feira (12), as críticas ao departamento médico do clube, intensificadas com o jejum de três jogos sem vitórias no Campeonato Brasileiro.

O time não contou nas últimas rodadas com Pablo, Alexandre Pato, Hernanes e Toró, agora liberados para o compromisso de domingo (15), contra o CSA, no Morumbi, às 19h. Daniel Alves e Igor Gomes, que estavam nos amistosos do Brasil, além de Antony e Walce, a serviço da seleção sub-23, também voltam.

"Não vejo nada de diferente do que acontece em outros clubes. Foi uma coincidência ruim, de jogadores que tiveram lesões ao mesmo tempo, o que acabou trazendo prejuízo à equipe, com menos opções. Mas todos estão voltando", disse Raí, que destacou anteriormente a chegada recente de profissionais ao departamento médico do clube e que citou reuniões internas semanais para discutir a questão.

Dos que voltam, Pablo é o que está há mais tempo fora. Ele não atua desde 13 de julho, em clássico com o Palmeiras, na retomada do Brasileiro pós-Copa América, quando lesionou o ligamento do tornozelo direito.

Na ocasião, o atacante voltava de um período de mais de três meses de recuperação, iniciado por sentir dores na panturrilha e que se seguiu com a descoberta de um cisto na coluna lombar, o que exigiu cirurgia.

Em outro clássico, contra o Santos, em 10 de agosto, foram as vezes de Hernanes e Pato se tornarem baixas, com lesões na coxa direita. O meia deixou o jogo com uma lesão grave no músculo adutor, enquanto o atacante teve diagnosticado, após acusar dores dias depois, um edema na região.

A partida ainda foi a despedida de Toró, que, posteriormente, sofreu um estiramento muscular na coxa esquerda em um treinamento.

Há ainda o caso do atacante Joao Rojas, que não atua desde 26 de outubro de 2018, quando o time ainda era treinado pelo uruguaio Diego Aguirre. Na ocasião, ele deixou o campo ao romper o tendão patelar do joelho direito.

Já em agosto deste ano, quando estava em fase final de recuperação, o equatoriano precisou de nova intervenção cirúrgica, ao romper o tendão quadricipital do mesmo joelho. O São Paulo não divulga prazo para o retorno dele.

Na coletiva, Raí afirmou ainda que as baixas não ocorreram em um momento decisivo da competição, que chega à 19ª rodada neste final de semana, e que o time pensa agora em uma retomada rumo à ponta da tabela -no momento, o São Paulo é o quinto colocado, com 31 pontos, oito a menos que o líder Flamengo.

"Conseguimos nos manter entre os primeiros até agora, depois de uma arrancada. É normal em um campeonato deste tamanho termos oscilações. É um momento importante, de retomada para atingir os objetivos que a gente traçou, que são ambiciosos, de estar brigando na parte de cima."

PAULO BATISTELLA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Imprimir