Cidadeverde.com
Economia

Gestores discutem os impactos da Reforma Tributária para setor empresarial

Imprimir

Foto: Ascom

Empresários e gestores que compõem a cadeia produtiva do Piauí, estiveram reunidos em mais um encontro do Movimento Empreender Piauí (MOVE) para discutir soluções e estratégias em prol do desenvolvimento do Estado. O impacto da Reforma Tributária nos negócios foi o tema de mais uma edição do Diálogo.com conduzido pelo advogado e bacharel em contabilidade, Cristiano Siqueira.

Durante apresentação, o advogado destacou a iniciativa do Movimento em promover o encontro com o intuito de discutir e disseminar informações acerca da cobrança de tributos para o setor empresarial. “O bate-papo foi de extrema importância para discutir de forma mais ampla o sistema tributário. Fiquei impressionado com a participação de nomes exponenciais do setor do Piauí. Precisamos discutir uma solução tributária e política em busca de maiores resultados e soluções que atendam aos anseios de todos os empresários”, disse Cristiano Siqueira.

O Movimento Empreender Piauí é uma associação criada com o objetivo de desenvolver estudos, coordenar e aprimorar atividades empresariais, comerciais e industriais no Piauí. De forma sistemática, o Movimento realiza encontros com exposição de ideias e discussão de temas que estão em pauta.

“O que falta é o empresário saber quais os benefícios do pagamento dos tributos. Se hoje somos cobrados por ter que prestar tantas obrigações acessórias e pagar impostos, também estamos no momento de entender para onde vai esse dinheiro e o por que cobrar todos esses tributos. Isso que precisa ficar claro para os empresários”, afirmou o palestrante convidado.           

Durante o encontro, o presidente do MOVE, Arthur Feitosa, defendeu que primeiramente todos os cidadãos precisam contribuir com o pagamento dos seus tributos, uma vez que atualmente isso não vem ocorrendo em sua totalidade.

“Todo cidadão tem que contribuir com os seus tributos, mas precisamos saber onde os mesmos estão sendo aplicados e isso é obrigação dos governantes prestar essa conta à sociedade. Precisamos contribuir para criar um ambiente favorável de negócio para as nossas empresas, porque afinal de contas, quem faz a econômica girar são os empresários. Estamos procurando encontrar melhores condições para o desenvolvimento do Estado, uma vez que com crescimento do Piauí os negócios também serão desenvolvidos. Sob pena de que se estagnarmos a economia os negócios serão fortemente atingidos”, declarou Arthur Feitosa.  

Já o presidente da Associação Industrial do Piauí (AIP), Andrade Júnior, afirma que após a Reforma da Previdência o que está mais em foco para o setor industrial e empresarial nacional são os pontos da Reforma Tributária. “Temos a necessidade não somente de reduzir a carga tributária de determinados setores, mas também de manter a arrecadação a nível nacional, estadual e municipal. Isso porque as demandas por saúde, educação e segurança a cada dia estão aumentando, mas temos que ter propostas que de fato aumentem a base de arrecadação”, destacou.

Andrade Júnior também afirma que hoje uma pequena parcela da população paga seus tributos. “Por isso, temos que aumentar o percentual de pessoas que contribuem para que se mantenha a arrecadação a nível nacional, mas para isso é fundamental que seja diminuída a carga tributária em cada setor produtivo. Acredito que a Reforma Tributária trará importantes benefícios como a diminuição das excessivas obrigações acessórias que punem de forma bastante rigorosa o setor produtivo, onde as multas chegam a ser maiores que os valores principais. Então, creio que a reforma será um bom caminho a ser trilhado”, afirmou o presidente da AIP.    

Da Redação 
redacao@cidadeverde.com

Imprimir