Cidadeverde.com
Cidades

Músico é encontrado com rosto e órgão sexual queimados no interior do Piauí

Imprimir

Músico Girleno Alves que foi assassinado / foto: ascom Porto

Atualizada às 17h56.

Após a morte do músico Girleno Alves de Sousa, servidor da prefeitura e músico da banda municipal, a Prefeitura de Porto decretou luto oficial por três dias. A decisão foi publicada nesta segunda-feira (23) pelo gabinete do prefeito Domingos Bacelar.

Girleno foi encontrado morto em um matagal de uma localidade rural próxima a cidade. Ele estava seminu com o rosto descaracterizado.

O decreto lamenta o falecimento do “honroso músico” que “prestou grandes serviços” a Banda de Música Municipal 25 de Junho e destaca o ”legado de contribuição para o desenvolvimento de Porto”.  “O músico Girleno Alves de Souza foi um exemplo de funcionário público”, diz o decreto assinado pelo prefeito.

O corpo de Girleno foi levado pelo IML de Teresina. A Delegacia de Porto aguarda o laudo cadavérico para dar seguimento às investigações.

Atualizada às 10h58.

O corpo de um músico e funcionário público foi encontrado em estado de decomposição no último sábado (21) em um matagal na localidade Malhada Grande, município de Campo Largo, a 212 quilômetros ao Sul de Teresina. A vítima residia na cidade de Porto, a 16 quilômetros de Campo Largo. Girleno Alves de Sousa era funcionário público e fazia parte da Banda Municipal de Música. 

Segundo informações de testemunhas, o corpo foi encontrado com o rosto e genitais queimados.

O delegado de Porto, Arthur Leal, informou que polícia aguarda a conclusão do laudo cadavérico para confirmar se o corpo foi queimado e iniciar a oitiva das testemunhas. O corpo foi levado pelo Instituto de Medicina Legal (IML). 

“Estamos começando a intimar as pessoas a serem ouvidas. Inicialmente descartamos a hipótese de latrocinio porque a moto dele não foi roubada. Nenhum familiar procurou a delegacia para informar desaparecimento. Aguardamos o laudo para saber o motivo da morte e se o corpo foi queimado”, relatou o delegado.

Familiares da vítima relataram que Girleno não sofria ameaças. “Ele não falou se tinha alguma ameaça, mas eu acredito que essa pessoa que matou estava com muita raiva”, contou Maria de Fátima Alves, prima do músico.

O corpo do funcionário foi encontrado seminu. “O rosto dele estava totalmente desfigurado, com aparência de queimado. Tudo indica que ele não foi morto lá, foi só jogado”, contou a familiar ao Cidadeverde.com.

“Quando encontramos o corpo não tinha como identificar quem era. O rosto estava muito desconfigurado. Possivelmente queimado para não saber de que tinha sido morto, de tiro, de facada ou de pancada”, contou o sargento Jota Luiz Evangelista, do GPM de Porto. 

O PM relata que no local havia indícios de que a vítima teria sido levada até a região. “Encontramos marcas no local. Ele provavelmente foi arrastado para onde ele estava. Tinha rastros de sangue e marcas de que um carro teria sido lavado no local”.

Ainda segundo o policial militar, outras informações estão em sigilo para preservar a investigação.

Girleno estava separado da esposa e deixa dois filhos.

O secretário de Comunicação da Prefeitura de Porto, Orlando Paiva, lamentou a morte do músico. "As causas da sua morte ainda são um mistério. O mesmo era um dos músicos da banda municipal "25 de junho" de Porto. Nossos pêsames aos familiares e amigos neste momento de dor".

 

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir