Cidadeverde.com
Esporte

Réver confirma atraso salarial no Atlético-MG, mas vê time focado para ir à final

Imprimir

Além de amargar sete derrotas consecutivas, sendo seis delas pelo Campeonato brasileiro, o elenco do Atlético-MG convive com o atraso de salários.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, o capitão Réver confirmou a pendência, mas afirmou que isso não vai abater o grupo para o duelo decisivo contra o Colón, quinta-feira, às 21h30, no Mineirão, pelo jogo de volta das semifinais da Copa Sul-Americana.

"Vou ser bem sincero. Realmente, tem algumas pendências. Não vai ser isso que vai atrapalhar nosso rendimento. Somos uma equipe experiente, acostumada a passar por isso. O futebol é dessa maneira. A partir do momento que você consegue assimilar bem isso e entender, você não vai entrar em campo para perder, porque isso se torna muito pior. 

A equipe vencendo, as coisas acontecem de maneira melhor, você consegue outros recursos para colocar em ordem as pendências financeiras. Muito das coisas que estão falando aí não faz sentido", afirmou o zagueiro, de 32 anos, que garantiu compreensão por parte do elenco com o problema.

"Mas a gente tem tanta intimidade com a diretoria. Foi muito claro que isso poderia acontecer durante o ano. Ninguém vem se omitindo em relação a essas pendências. Muito pelo contrário. 

Os jogadores estão entendendo essa situação. Acredito que não é só aqui, muitos clubes, principalmente da Série A, passam por momentos complicados e conturbados quando se trata da parte financeira", disse o defensor.

Apesar da péssima fase atravessada pela equipe, Réver confia na possibilidade de o Mineirão ser palco de mais um momento histórico para o Atlético-MG.

Foi jogando no estádio, por exemplo, que o time de Belo Horizonte conquistou o título mais importante de sua história: o da Copa Libertadores de 2013, quando superou o Olimpia, do Paraguai, na decisão para ficar com o almejado troféu continental.

"Sem dúvida, é um palco que o Atlético tem muita história, e espero que a gente construa novas histórias. Esse foi um dos meus objetivos no meu retorno ao Atlético, conseguir novas conquistas, e estou muito próximo de dar continuidade a essa minha história com a camisa do clube.

Espero que, quinta-feira, nós, dentro de campo, possamos fazer o nosso melhor, deixar tudo que temos para conseguir essa tão sonhada vitória e chegar à final da Sul-Americana", disse Réver, que viveu a sua primeira passagem pelo clube mineiro entre 2010 e 2014, antes de defender o Internacional e o Flamengo e depois retornar à equipe atleticana neste ano.

CASA CHEIA E TREINO NO MINEIRÃO - Para este jogo decisivo de quinta-feira, o Atlético terá o apoio de um grande público. Foram vendidos até a tarde de terça-feira 41.088 ingressos para o duelo. 

Depois de perder a partida de ida das semifinais, de virada, por 2 a 1, na Argentina, semana passada, o time comandado por Rodrigo Santana precisa apenas de uma vitória simples para alcançar a decisão da Sul-Americana. O último triunfo do time mineiro foi diante da La Equidad, em Bogotá, por 3 a 1, nas quartas de final, no dia 27 do mesmo passado.

E para começarem a se adaptar às condições do estádio, os jogadores hoje considerados titulares que não foram escalados na derrota por 1 a 0 para o Avaí, na noite de segunda-feira, em Florianópolis, além de Luan, Otero e Maicon, que entraram no decorrer do confronto, participaram de um treino fechado no Mineirão na tarde desta terça-feira. Já os reservas que atuaram no dia anterior ficaram na Cidade do Galo realizando um trabalho regenerativo.

As duas principais novidades da atividade no estádio foram Jair e Maidana, liberados pelo departamento médico após se recuperarem de lesões. O primeiro deles, inclusive, deve ser confirmado em uma provável formação titular que seria a seguinte: Cleiton; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair, Elias, Chará, Vinícius e Cazares; Di Santo.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Imprimir