Cidadeverde.com
Últimas

Médicos mantêm protocolo e jornalista Egídio Brito continua internado no hospital

Imprimir

Foto: Reprodução Facebook Egidio Brito



Atualizada às 18h

Boletim médico divulgado por volta das 16h desta segunda-feira (30) revela que o quadro clínico do jornalista Egídio Brito permanece estável. A equipe médica que acompanha Egídio divulgou seu estado de saúde apenas para os familiares. Ele continua internado na UTI e com quadro grave. Como ele reage a alguns estímulos, os médicos refazem constantes exames. 

Atualizada às 13h20

O Hospital Unimed divulgou nota agora há pouco - às 13h20 - informando que o jornalista Egídio Brito continua internado e com todo acompanhamento médico. O quadro de Egídio é grave, mas continua estável sem alteração.

O boletim médico é assinado pelo médico Rafael Correia Lima, diretor clínico da Unimed. 

Atualizada às 07h36 do dia 30/09 

Os médicos continuam com os protocolos de exames para acompanhar o quadro de saúde do jornalista Egídio Brito. O diagnóstico é de morte cerebral (o cérebro não reage aos estímulos médicos), mas o coração e outros órgãos continuam funcionando. Os aparelhos não foram desligados porque ainda há vida. 

Na noite de ontem(29), protocolos confirmavam que ele reagia ao quinto item de exame. Ele permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e às 16h será divulgado um novo boletim médico para a família. 

Amigos e familiares pedem que as pessoas reforcem as orações.

Matéria original

O jornalista Egídio Brito, 32 anos, teve morte cerebral confirmada neste domingo (29), após ser diagnosticado por uma forma severa de meningite meningocócica. Ele está com morte encefálica (o cérebro não reagiu aos estímulos médicos), mas outros órgãos continuam funcionando. Os aparelhos não foram desligados até a noite deste domingo.  Os amigos na rede social pedem orações. 

Egídio está internado no hospital Unimed desde sexta-feira (27), depois de sentir fortes dores no corpo e ter crise de vômitos. A doença repentina do jornalista causou comoção na cidade. Egídio Brito já fez parte do time de repórteres do grupo Cidade Verde, onde fez muitos amigos. Há uma comoção geral nas redes sociais. 

Meningite

A meningite é uma inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença, que é contagiosa, pode ser causada por vírus ou por bactéria, que é mais grave. A melhor forma de prevenção é por meio de vacina. 

De acordo com site do médico Dráuzio Varela, a meningite meningocócica pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas, que são: fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, na sequência, rigidez na nuca. O risco de morte é de 10% a 20%, e em caso de sobrevivência, a doença pode deixar sequelas graves, como surdez e debilidade motora.

Há 12 tipos de meningococos; no Brasil, o mais comum é o tipo C (80% dos casos), seguido do tipo B. Os tipos A, W e Y são menos frequentes. Por isso, a vacina quadrivalente (que cobre os tipos A, C, W e Y). Já a contra o tipo B não é oferecida pelo SUS, apenas por clínicas particulares.

Atualizada às 20h

A assessoria do Hospital informou que o jornalista Egídio Brito permanece internado na UTI e oficialmente sua morte não foi confirmada. O quadro é de morte cerebral e os médicos continuam com os protocolos de exames e em contato direto com a família. 

 

 

Yala Sena e Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir