Cidadeverde.com
Geral

Incêndio destrói quiosque em frente a shopping na zona Leste

Imprimir

Um incêndio atingiu um quiosque na Avenida Raul Lopes, em frente ao shopping Riverside, zona Leste de Teresina nesta terça-feita (1). O fogo se espalhou pela vegetação às margens do rio Poti. A central do Corpo de Bombeiros confirmou a ocorrência e foi acionada para conter as chamas. 

A fumaça alta e o barulho de pequenas explosões chamaram a atenção até de pessoas que trafegavam do outro lado rio, na Avenida Marechal Castelo Branco. 

Treze agentes do Corpo de Bombeiros em três guarnições foram necessários para controlar o fogo que destruiu completamente a estrutura do quiosque. 

Segundo o fiscal de ônibus Juarez Portela, um jovem teria se aproximado do local e saído correndo momentos antes do fogo ser notado. "Isso aí estava desativado e virou um ponto de drogas. Eu vi um rapaz com uns livros no braço sentado ali atrás. Ele saiu pouco antes do quiosque começar a queimar", relatou.


Proprietário diz que incêndio foi criminoso

O quiosque estava desativado há três meses. O empresário Claudinei Lima conta que aguardava um parecer da prefeitura para reativá-lo. "Já ia voltar agora em outubro e acontece uma coisa dessas. Tinha tudo aí, freezer, mesa, geladeira", lamenta. O quiosque não tinha seguro. 

"Foi criminoso. Não sei quem foi, mas foi proposital", disse Claudinei. Segundo o proprietário, um outro quiosque na avenida foi incendiado há oito anos.

O comandante da operação, tenente Carlos Nascimento, informou que foram usados cerca de 5 mil litros dos 10 mil disponíveis para conter o fogo que se alastrou pela vegetação seca da margem do rio Poti. 

O tenente afirmou que apenas uma perícia vai identificar as causas do incêndio, mas adiantou que o fogo teria iniciado na margem do rio e se alastrou para o quiosque. 

"A informação que nós temos é que começou na vegetação e se alastrou para o quiosque", contou o comandante enquanto orientava os agentes na contenção das chamas.


Mototaxistas que trabalham em um ponto a poucos metros do incêndio molhavam os bambuzais próximos com medo que as chamas atingissem os armários onde guardam pertences pessoais.

Funcionários da Equatorial foram ao local para fazer o desligamento da energia elétrica. Segundo os eletricistas, o desligamento não vai afetar o fornecimento de energia da região, apenas no local do quiosque. 

Floristas que trabalham no local relatam desespero quando o fogo começou. "É uma agonia ver o fogo subindo, parece que é o vento que está levando. Ouvi os estalos de longe e gritei para as mulheres que trabalham nos outros quiosques. Uma pegou a mangueira e começou a molhar a terra, eu comecei a varrer para tirar as folhas secas", contou a Joana D'arc Lima, que trabalha há 5 anos no local. 

Segundo elas, o quiosque está fechado há dois anos. "Está abandonado isso aqui. Sem limpeza, sem segurança. Dizem para termos cuidado com as queimadas, mas deixam isso aqui tudo sujo" relatou a florista.

As vendedoras, que trabalham a 30 metros do local, confirmam a presença de usuários de drogas no local. O fogo chegou a cerca de três metros do quiosque de flores mais próximo, que estava aberto e com funcionários.

A perícia deverá ser feita após a ida do proprietário ao Corpo de Bombeiros. "Vou acionar a perícia assim que registrar o BO no 12° DP", disse o dono do quiosque.

Flash Valmir Macêdo
[email protected]

  • incendio9.jpg Yasmim Cunha
  • incendio8.jpg Yasmim Cunha
  • incendio7.jpg Yasmim Cunha
  • incendio6.jpg Yasmim Cunha
  • incendio5.jpg Yasmim Cunha
  • incendio4.jpg Yasmim Cunha
  • incendio3.jpg Yasmim Cunha
  • incendio2.jpg Yasmim Cunha
  • incendio1.jpg Yasmim Cunha
Tags: incêndio
Imprimir