Cidadeverde.com
Geral

Teresina já registra oito assassinatos de moradores de rua somente em 2019

Imprimir

Oito pessoas em situação de rua foram mortas  em 2019. Das vítimas, cinco foram mortas na região do 1º Batalhão da Polícia Militar, no Centro de Teresina. O caso mais recente aconteceu nesta terça (08) quando mais um morador de rua foi assassinado a facadas próximo ao Mercado Central. 

A vítima de ontem chegou a ser socorrida pelo SAMU, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital. O corpo está no IML e até a publicação desta matéria não foi reconhecido. Por muitos serem andarilhos, há essa dificuldade de identificação.  

Sobre esse caso, o tenente-coronel Lacerda, comandante do 1º BPM, em entrevista ao Jornal do Piauí, informou que a guarnição tomou conhecimento do fato por volta das 20 horas, após o ocorrido.

"A informação preliminarmente colhida é de que houve uma discussão com 'um elemento' que não foi identificado, o (possível) autor (desse crime). Ele foi socorrido, mas no percurso ao HUT (Hospital de Urgência de Teresina) veio a óbito.   Nós deslocamos uma viatura até o HUT para pegar mais informações, mas não houve muitos elementos para se repassar à Polícia Civil", disse.

Sobre a identificação dos autores de homicídios, o tenente-coronel ressaltou que os populares ficam com receio de ajudar nas investigações por medo de represálias. De certa forma, isso dificulta o trabalho da Polícia Civil e da Polícia Militar. 

Com relação as motivações para a prática desse crime envolvendo pessoas em situação de rua, o tenente-coronel destacou que muitos dos casos tem ligação a roubos, tráfico de drogas ou o consumo delas, além de "rixas pessoais". 

"Infelizmente, a área do 1º Batalhão registra cinco casos.  Nós trabalhamos diuturnamente, mas não é apenas um problema de polícia. É um problema de políticas públicas, problema social, e já levamos essa demanda para a Prefeitura de Teresina, que nos atendeu muito bem".

O tenente-coronel também destacou que há uma parceria com a Pastoral dos Moradores de Rua para ajudar a dar maior dignidade às pessoas que estão na rua, precisando do apoio do Estado.

Semcaspi
 

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) informou ao Cidadeverde.com, por meio de nota, "que as pessoas em situação de rua estão sendo acompanhadas pelos Agentes de Proteção Social (APS) do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) da região. Esse acompanhamento tem sido realizado diariamente repassando as orientações dos serviços oferecidos pela Prefeitura de Teresina e aguardando a adesão dessas pessoas". 

"A Semcaspi esclarece que desenvolve alguns projetos que buscam atender a população que se encontra em situação de rua. Um deles é o Centro Pop. O local disponibiliza uma equipe multiprofissional composta por assistente social, psicólogos, Agente de Proteção Social e Orientador Social para desenvolver atividades, acompanhamento e o monitoramento das necessidades desse público que recebe, ainda, uma ficha para se alimentar no Restaurante Popular. Além do Centro Pop, a Semcaspi possui uma Casa de Passagem que diariamente acolhe para pernoitar 50 pessoas em situação de rua".



Carlienne Carpaso (com informações da TV Cidade Verde)
carliene@cidadeverde.com 

 

Imprimir