Cidadeverde.com
Esporte

Reinier marca após polêmica, e Fla vira sobre Fortaleza em jogo com VAR

Imprimir

Em um jogo de muita correria e com intervenção decisiva do árbitro de vídeo, o Flamengo venceu o Fortaleza por 2 a 1 nesta quarta (16), no Castelão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O Leão abriu a contagem com Bruno Melo, de pênalti. Gabigol, também de pênalti (confirmado após intervenção do VAR), empatou. Aos 43, de cabeça, Reinier virou o jogo para o time carioca.

Com o resultado, o Flamengo –que perdia até os 33 minutos da etapa final– dá mais uma prova de sua força e, mesmo repleto de desfalques, mantém a sequência de vitórias fora de casa e a folga na liderança.

Na próxima rodada, o Fortaleza recebe o Grêmio no sábado, às 17h. Já o Flamengo volta a campo no domingo para o clássico com o Fluminense, às 18h, no Maracanã.

QUEM FOI BEM: DIEGO ALVES

Assim como na vitória sobre o Athletico, o goleiro Diego Alves foi uma grande figura em campo. Em cobrança de falta de Bonilha, voou e evitou o gol. O camisa 1 também apareceu bem em arremate de André Luis, e esteve presente sempre que preciso. Famoso por pegar pênaltis, o goleiro foi bem na bola, mas não evitou o gol de Bruno Melo.

QUEM FOI MAL: JOÃO LUCAS ABAIXO

Substituto de Rafinha, João Lucas não esteve bem no Castelão. Sem efetividade no apoio e falho na defesa, o jogador foi alvo de investida constante dos tricolores. Como o titular se recupera de uma cirurgia na face, as opções disponíveis para Jesus são João Lucas e Rodinei.

REINIER BRILHA NO FIM

Pivô de um imbróglio entre Flamengo e CBF, o meia Reinier teve atuação apagada no Ceará. Sem diálogo com os homens da frente, pouco apareceu e foi facilmente anulado pelos rivais. Aos 43 minutos do segundo tempo, a estrela do camisa 19 apareceu. Ele aproveitou cruzamento e cabeceou para o fundo da rede.

FORTALEZA: FORTE PRESENÇA NO MEIO-CAMPO E RECUO NO FIM DO JOGO

Em casa, a equipe tricolor conseguiu impor algumas dificuldades aos visitantes e tirar o time de Jorge Jesus das características. Os comandados de Rogério Ceni tiveram boa presença no meio de campo e, no ataque, exploraram as jogadas pelas alas.

O Fortaleza começou bem, conseguindo, de certa forma, "empurrar" o Flamengo para o campo de defesa, mas, ainda assim, faltava capricho para concluir. Mesmo sem sofrer muito na parte defensiva, Paulão, no fim da etapa inicial, evitou que o time rubro-negro abrisse o placar.

O panorama não teve muita alteração no segundo tempo, e o Fortaleza continuou criando boas chances. Conseguiu abrir o placar em cobrança de pênalti, mas recuou e permitiu que o Flamengo ganhasse espaço, fazendo pressão. Assim, a equipe do Rio empatou e, nos minutos finais, virou o jogo.

FLAMENGO: UMA EQUIPE SEM SEU DNA

Mutilado por desfalques e suspensões, o Flamengo foi um time irreconhecível. Características marcantes do time de Jesus, a marcação sob pressão e a troca envolvente de passes não se fizeram presentes. Ante um rival com muito gás e disposição, o que se viu foi um Fla incapaz de superar suas deficiências e impor o seu estilo. 

Sem inspiração, o time rubro-negro abusou de bolas cruzadas na área e esteve longe de ameaçar Felipe Alves. No fim, Reinier salvou.

LESÃO PARA CÁ, LESÃO PARA LÁ

O primeiro tempo marcou uma coincidência entre os dois times. Aos 15 minutos, Lucas Silva arrancou e sentiu uma fisgada na parte posterior da coxa. Sem condições, foi substituído por Piris da Motta. Aos 29, André Luís sentiu problema similar e seguiu. Mas minutos depois, em choque com Rodrigo Caio, o camisa 97 machucou o joelho e deixou o gramado.

CRONOLOGIA

Aos 15 minutos do segundo tempo, Pablo Marí abriu o braço dentro da área e o juiz marcou pênalti. Bruno Melo bateu bem e converteu. 

Aos 33, Quintero colocou a mão dentro da área e, após revisão do VAR, Paulo Roberto Alves Junior anotou o pênalti. Aos 37, Gabigol bateu e marcou. Aos 43, Reinier virou.

ROUPA NOVA

O Fortaleza lançou o seu terceiro uniforme, que recebeu o nome de "Tríplice". A camisa, predominantemente vermelha, é uma homenagem aos títulos da Série B do Brasileirão 2018, do Campeonato Cearense 2019 e da Copa do Nordeste 2019.

MOSAICO POLÊMICO

Antes de a bola rolar, o duelo foi na arquibancada. A torcida do Fortaleza preparou um mosaico tendo como personagem o Cristo Redentor, famoso ponto turístico do Rio de Janeiro, com um chapéu de cangaceiro e com uma camisa nas cores do Flamengo. 

Depois, a camisa rubro-negra caiu e deu lugar a uma com as cores do Fortaleza. A ação foi uma provocação em relação aos "mistos", como são chamados os torcedores que torcem para um time local e para uma equipe de outro Estado.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir