Cidadeverde.com
Economia

Números da Black Friday no Brasil e expectativas para 2019

Imprimir

Foto: Divulgação Gearseo

Um popular evento comercial dos Estados Unidos virou febre no Brasil nesta última década. A chamada Black Friday acontece na 4ª sexta-feira do mês de novembro, um dia após o Dia de Ação de Graças. Nela, os lojistas realizam promoções com descontos muito maiores do que o normal, atraindo consumidores do país todo.

Além de ser um fenômeno nas lojas físicas, em que centenas de pessoas invadem os estabelecimentos assim que as portas são abertas, a data impulsionou o mercado online americano. A cada novo ano, registram-se vendas recordes por e-commerce, que miram descontos ainda mais chamativos do que a de outras lojas.

A data é muito visada pelos consumidores, pois além dos descontos irresistíveis, serve como opção para fazer as compras de Natal — que acontece menos de um mês depois. Eletrônicos, como smartphones, notebooks e TVs, geralmente são os produtos mais visados pelos clientes, mas os descontos se estendem por todos os setores.

Black Friday brasileira

No Brasil, a Black Friday iniciou-se em 2010 e, desde então, vem ganhando cada vez mais força no mercado nacional. O faturamento das vendas no ano inaugural não chegou aos R$ 3 milhões. Em 2018, esse valor saltou astronomicamente, para a casa dos R$ 2,6 bilhões, transformando-se em uma importante data para os lojistas.

Esse aumento no faturamento e no número de vendas colaborou para o fortalecimento do mercado online brasileiro. No decorrer da década, as pessoas tiveram um acesso cada vez mais facilitado à internet, atraindo novos consumidores para esse mercado e permitindo que eles tivessem um número mais variado de ofertas.

Black Friday em 2019

Apesar da força no e-commerce, a Black Friday deste ano também deve conquistar as ruas. Segundo especialistas, esta deve ser a primeira vez em que o número de brasileiros que farão as compras online e em lojas físicas será o mesmo. Isso mostra como o comércio urbano incorporou bem a data, caindo no gosto do público geral.

Outro diferencial é que, no Brasil, muitas vezes, as promoções começam antes da sexta-feira e se estendem até depois. O consumidor vem compreendendo melhor essa dinâmica nos últimos anos, o que tem ajudado na hora de escolher não só o que comprar, mas quando comprar.

Embora o ganho de força da data no Brasil seja notável, a perspectiva é que o evento deste ano seja mais “morno”. Segundo os especialistas, o faturamento desta Black Friday deve crescer cerca de 4%, registrando um crescimento menor do que no último ano, quando houve um aumento de 9% no faturamento em relação aos números de 2017.

Isso acontece devido ao momento econômico que o país passa. A retomada econômica ainda é lenta e muitos consumidores não devem arriscar seu rendimento mensal por compras descontroladas. A alta do dólar também faz com que, mesmo com os descontos, os preços possam ser mais altos do que em anos anteriores.

Outra estratégia que deve ser utilizada é o desconto concentrado, que prioriza itens de maior valor agregado, como televisores e smartphones. Desta forma, produtos de última geração dessas linhas devem ter um desconto maior, enquanto itens mais antigos devem sofrer uma queda menor nos preços.

Cuidados

Os interessados em realizar compra nessa data devem estar atentos. O movimento já foi taxado de “Black Fraude”, uma vez que as lojas, nas semanas que antecedem a data, costumam subir o preço, de forma que o “desconto” aplicado no dia é apenas para retornar para um valor igual ou próximo do que originalmente era.

Por isso, vale a pena pesquisar na Internet, com várias semanas de antecedência, sobre sites que monitoram preços dos produtos, marcando sua variação de preço. Sites de comparação de preço entre diferentes lojas também devem ser consultados antes de efetuar a compra, para garantir o melhor negócio possível.

Um planejamento do que comprar também é essencial. Listar com antecedência o que deve ser comprado, diminui as chances de ocorrerem compras descontroladas, que podem pesar no orçamento. Estabeleça um teto de gastos e priorize aqueles itens que são mais importantes para você neste momento.

 

redacao@cidadeverde.com

Imprimir