Cidadeverde.com
Viver Bem

Câncer na laringe tem cura, mas exige atenção com a voz

Imprimir

Até o fim deste ano, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima 7.670 novos casos de câncer de laringe no País. De acordo com o órgão, o principal vilão desta história é o tabagismo, que atinge 18,2 milhões de pessoas no Brasil.

Os números veem diminuindo ano após ano. Entretanto, entre as mulheres a queda foi menor. Por isso, muitos especialistas ainda ressaltam que elas podem ter mais propensão à doença. Por conta do aumento de impostos e restrição do cigarro em lugares fechados esse número já caiu bastante.

Mesmo assim, os sintomas ainda são negligenciados pela maioria da população. Dores frequentes na garganta, infecções e rouquidão são deixadas de lado ou tratadas com remédios conhecidos ou soluções caseiras. No entanto, é preciso ficar muito atento, principalmente aos sintomas que persistem por duas semanas ou mais.

Profissionais que utilizam muito a voz, como os professores, devem ficar atentos, pois os riscos são maiores. Acostumados a terem rouquidão, eles geralmente ignoram os sintomas.

Ter uma noite de sono adequada e manter uma postura correta do corpo ao usar a voz ajuda a manter a saúde vocal. Também é importante hidratar-se antes e durante as aulas (no caso dos professores).

Especialistas também indicam certos alimentos que ajudam nesse cuidado, como a maçã, que é adstringente. Bebidas cítricas também ajudam, pois removem o excesso de muco.

Não use roupas muito apertadas na região do pescoço e tome cuidado com o equilíbrio vocal. Profissionais que utilizam muito a voz devem ter acompanhamento de um fonoaudiólogo para manter uma impostação adequada. Quando apresentar rouquidão, pode-se fazer uma laringoscopia, que avalia essas condições.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir