Cidadeverde.com
Cidades

Escola estadual de Altos cria jogo eletrônico para incentivar estudos de Matemática e Português

Imprimir

 

O diretor Onofre Gomes, da Unidade Escolar Afonso Mafrense, localizado no município de Altos, vem fazendo sucesso entre os alunos ao aplicar a disciplina de Matemática e Português na criação do "The Holy Library", um jogo voltado para o desenvolvimento educacional. O objetivo da ação, no primeiro momento, está direcionado para revisar os descritores da prova Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), transformando um vilão (celular) num aliado para construir o conhecimento, apresentando assim, novas formas de ensinar e aprender.

A ideia surgiu quando Onofre observou uma certa quantidade de alunos que gostam de games e estavam desmotivados para assistir às aulas, principalmente, de matemática. Boa parte desses alunos não conseguia largar o telefone celular. Sabendo disso, o diretor planejou a criação de um jogo eletrônico contendo questões de português e matemática para que pudesse levar até a esses alunos o conhecimento.

"Como recebo muitos alunos do curso técnico em informática, selecionei dois daqueles que mais se destacaram, Caio Fernandes e Ayrlan Barbosa, e passei toda a filosofia do jogo para começarmos a realizar a programação. A partir deste momento, foi realizado um estudo para escolher a base para iniciar a programação do jogo. Ao longo de 20 dias já tínhamos o primeiro protótipo", fala entusiasmado o diretor.

Onofre Gomes, relatou, ainda, que umas das grandes motivações desse game é o fato de entender que a sala de aula não é único espaço de construção do conhecimento e que é necessário diversificar as formas de aprendizagem.

Como jogar?

Para acessar o jogo online, basta entrar na página thlgames. O The Holy Library tem o formato de um RPG e para chegar chegar à loja virtual da trama é preciso resolver, no mínimo, 22 questões de matemática e português e, para cada questão certa, você ganha um ticket no valor de $ 10G, a moeda do game, para comprar itens para o personagem. Quando o jogador conclui a primeira parte, recebe mais $ 200G.

"Para os alunos da escola já temos na loja disponível a serenata, que o jogador pode comprar virtualmente e eu entrego um bombom fisicamente, mas fazemos isso somente quando realizamos competições", relata o gestor. O diretor comemora a iniciativa que tem sido sucesso na escola e agradece aos principais colaboradores. "Em primeiro lugar, agradeço a Deus, aos estagiários Caio e Arlan, ao voluntário Renan e ao proprietário do sistema Mobieduca.me, nosso colaborador Marcos Oliveira, não esquecendo dos professores de matemática e português por ajudar na seleção das questões", fala, entusiasmado, Onofre Gomes.

redacao@cidadeverde.com 

Imprimir