Cidadeverde.com
Cidades

TJ confirma que acusados de matar Emídio Reis vão a Júri Popular

Imprimir

Foto: reprodução Cidadeverde.com

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) indeferiu o recurso impetrado pela defesa de Francimar Pereira, ex-vice prefeito de São Julião, e Válter Ricardo da Silva, acusados de participação na morte do ex-vereador Emídio Reis, em 2013. Os  réus foram pronunciados em agosto do ano passado a responderem pelas acusações no Tribunal do Júri. A defesa recorreu, mas a 1ª Câmara Especializada Criminal manteve, nesta quarta-feira (23), a decisão da Justiça de Picos que entendeu que os dois devem responder por crime contra a vida. 

"O Francimar é acusado de ser o mandante do crime e o Valtér executor. No ano passado, a Justiça de Picos fez a pronúncia, mas eles recorreram e agora o TJ julgou improcedente e manteve a decisão de Picos. Foi alegado que o julgamento não fosse pelo Júri,  que as provas eram poucas e pediram algumas nulidades, mas o TJ teve outro entendimento", explica Herval Ribeiro, assistente de acusação. 

O advogado destaca que a defesa dos acusados ainda pode recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

"Eles podem recorrer ao STJ para tentar retardar ainda mais o processo. Mas essa decisão de hoje é mais um passo para que a Justiça seja feita, mais uma etapa vencida para que chegue ao julgamento", reitera Ribeiro acrescentando ainda que os dois réus aguardam julgamento em liberdade desde 2016, após um habeas corpus. 


Relembre o caso

As investigações indicaram que a vítima foi baleada e enterrada viva em uma emboscada.

O crime teria motivação política, uma vez que Emídio Reis havia entrado com uma ação na Justiça que poderia resultar na cassação de Francimar Pereira e do prefeito à época A denúncia apontava para compra de votos e abuso dos poderes político e econômico.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir