Cidadeverde.com
Esporte

Corinthians bate Ferroviária em Quito e conquista título da Libertadores Feminina

Imprimir

No jogo que marcou um novo capítulo da rivalidade que os dois times brasileiros construíram ao longo desta temporada, o Corinthians venceu a Ferroviária por 2 a 0, com gols de Crivelari e Juliete, na noite desta segunda-feira, no Estádio Olímpico de Atahualpa, em Quito, no Equador, e conquistou o título da Copa Libertadores Feminina de 2019.

Foto: Bruno Teixeira/ Agência Corinthians

Campeã do torneio continental em 2015, quando levou a melhor sobre as chilenas do Colo-Colo na decisão, a Ferroviária desta vez acabou fracassando na tentativa de faturar o bicampeonato. 

Já o clube alvinegro festejou nesta segunda-feira como bicampeão, pois em 2017 ergueu a taça da competição por meio de uma equipe chamada de Corinthians/Audax, em uma parceria entre os dois times que foi vitoriosa.

E com o troféu assegurado em solo equatoriano, o Corinthians colocou o seu nome mais uma vez na lista de campeões da Libertadores, conquistada por clubes brasileiros na maioria de suas edições, após a primeira delas ocorrer em 2009. 

Os outros representantes do País que venceram o torneio foram o São José, maior campeão, com as taças obtidas em 2011, 2013 e 2014; o Santos, ganhador em 2009 e 2010; o Audax, que triunfou em 2017; e a própria Ferroviária, com o título de 2015.

Para o Corinthians, o título continental alcançado no Equador também teve um sabor de vingança, pois em setembro o clube de Araraquara levou a melhor sobre a equipe paulistana na final do Campeonato Brasileiro. Antes disso, as corintianas despacharam a adversária do interior de São Paulo nas semifinais do Paulistão

O título conquistado nesta segunda-feira também coroou a grande campanha do time alvinegro, campeão de forma invicta. Primeiro colocado do Grupo C desta Libertadores, a equipe comandada pelo técnico Arthur Elias depois superou nas fases de mata-mata do torneio o Santiago Morning, do Chile, por 2 a 0, e na semifinal goleou o América de Cali, da Colômbia, por 4 a 0.

Na decisão em Quito, o Corinthians foi superior e teve maior volume ofensivo desde o primeiro tempo, no qual por pouco não abriu o placar. 

Em um dos lances mais perigosos da etapa inicial, acertou o travessão do gol da Ferroviária aos 40 minutos em um cruzamento e logo em seguida, aos 41, desperdiçou ótima oportunidade de marcar quando Millene aproveitou um vacilo da zaga adversária e, completamente livre na cara do gol, finalizou e parou em defesa da goleira Luciana.

Na etapa final, porém, o Corinthians encontrou o caminho da vitória. E o primeiro gol veio por meio de Crivelari, que foi colocada em campo aos 17 minutos deste segundo tempo no lugar de Paulinha e balançou as redes. Ela exibiu oportunismo aos 28 minutos, quando foi acionada por Tamires, que fez bela jogada em contra-ataque rápido, e se antecipou à marcação da defensora Barrinha antes de tocar para as redes na saída de Luciana.

Após abrir o placar, o time corintiano continuou pressionando a Ferroviária e fez o segundo gol aos 44 minutos. Logo depois de desperdiçar uma grande chance ao tentar encobrir a goleira adversária, Victoria Albuquerque se redimiu do erro ao tabelar com Juliete e ver a companheira completar para o gol para decretar o 2 a 0.

Foi a consagração também de um Corinthians que chegou a emplacar 34 vitórias consecutivas nesta temporada, recorde mundial que foi parar no Guinness Book. 

A Ferroviária, por sua vez, foi o time que quebrou a sequência vitoriosa ao arrancar um empate com o rival na primeira partida da final do último Brasileirão.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir