Cidadeverde.com
Geral

Sesapi investiga suspeita de 1º caso de sarampo com origem no Piauí

Imprimir

Foto:  Erasmo Salomão/Ministério da Saúde/Flickr

 

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) investiga se o oitavo caso confirmado para Sarampo no Piauí pode ser autóctone, ou seja, de origem interna. Se confirmado, esse será o primeiro caso de origem no estado. Até o momento, os outros sete confirmados para a doença são casos importados.

Esse oitavo caso investigado tem como paciente um bebê de nove meses e que mora na cidade de Lagoa do Sítio, a 242 km de Teresina. A coordenadora estadual de Epidemiologia, Amélia Costa, disse ao Cidadeverde.com que o caso dele foi confirmado na última quinta (07). 

De acordo com a coordenadora, a suspeita desse ser o primeiro caso autóctone acontece porque o bebê não se ausentou do município e não recebeu visitas. Amélia Costa ressalta que o município em que o bebê reside com a família foi um dos primeiros a ter casos importados da doença confirmados. 

Os oito casos confirmados fazem parte dos 33 que estão em notificação no estado; os demais continuam em investigação, acrescenta a coordenadora. 

Os casos em aberto ainda não foram encerrados porque a coordenação aguarda o resultados dos exames realizados pelo Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém do Pará, que coleta material de toda a região Nordeste. Inclusive, a análise do material do bebê de Lagoa do Sítio para saber se o caso é importado ou autóctone está no IEC. 

"Nós estamos aguardando os resultados chegarem. Por isso, não podemos confirmar ou descartar os demais. Sobre a criança de nove meses, ela é de Lagoa do Sítio, cidade em que se teve os primeiros casos de sarampo importado. Essa criança não saiu da cidade nem recebeu visitas. Ainda não podemos dizer se é um caso autóctone porque estamos aguardando os exames", disse a coordenadora.

Um dos exames aguardados envolvendo o bebê de nove meses irá informar se é o mesmo genoma do caso importado ou alguma mutação local, levando a ser um caso de origem no estado. 

O envio para outro estado acontece porque no Piauí o diagnóstico laboratorial para Sarampo é realizado por meio da sorologia para detecção de anticorpos IgM, quando os anticorpos específicos podem ser detectados no sangue, na fase aguda da doença desde os primeiros dias até quatro semanas após o aparecimento do exantema. 

Já a sorologia para detecção de anticorpo IgG em casos notificados no Piauí é feito pelo IEC.   Os anticorpos específicos da classe IgG começam a aparecer logo após a fase aguda da doença, desde os primeiros dias e, geralmente, continuam sendo detectados muitos anos após a infecção.

SARAMPO

O Ministério da Saúde explica que o  "sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina". 

Os principais sintomas do sarampo são: febre acompanhada de tosse; irritação nos olhos; nariz escorrendo ou entupido; mal-estar intenso. 

"Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade", finaliza.  

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir