Cidadeverde.com
Geral

Secretaria nega sequestro de delegado e faz esclarecimento

Imprimir

Foto: Yasmin Cunha/Cidadeverde.com

Ampliada às 12h30.

O secretário estadual de segurança, capitão Fábio Abreu, negou ao Cidadeverde.com o sequestro do delegado Laércio Eulálio na manhã deste domingo (17). Um boletim de ocorrência foi registrado no início da manhã alegando possibilidade de sequestro.

“Foi uma internação compulsória por dependência química. Quem registrou o B.O. não sabia. Uma parte da família não tinha conhecimento, incluindo o porteiro que desconfiou de sequestro”, informou Fábio Abreu.

No boletim de ocorrência, o pai do delegado, que não sabia da internação, denunciou, com base nos relatos do porteiro, que, por volta das 6h, Laércio havia sido abordado por homens desconhecidos enquanto saía para caminhada próximo ao prédio onde mora na zona Leste. Os homens o forçaram a entrar em um carro de cor vermelha. A namorada do delegado teria presenciado a abordagem e corrido para pedir ajuda na portaria do prédio.

De acordo com o delegado Higgo Martins, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil de Carreira do Estado do Piauí, o delegado Laércio não estava afastado das atividades e estava lotado na Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária Econômica e Relações de Consumo (Decotec) e ficará  afastado das atividades profissionais até sua recuperação médica. Laércio Eulálio já foi delegado-geral da Polícia Civil do Piauí. 

A Secretaria de Segurança emitiu a seguinte nota:

NOTA

A Delegacia Geral de Polícia Civil do Estado do Piauí esclarece que o DPC Laércio Eulálio foi internado para tratamento de saúde, segundo informações de  familiares. Infelizmente, não houve comunicação imediata aos pais do delegado sobre o procedimento de internação. Por conta disso, o pai do DPC registou boletim de ocorrência narrando suposto sequestro. Prontamente a Polícia Civil diligenciou e esclareceu o ocorrido.

O delegado Laércio Eulálio ficará  afastado das atividades profissionais enquanto for necessário para a sua plena recuperação médica.

 

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir