Cidadeverde.com
Geral

PM suspeito de atirar em bar tem porte de arma suspenso e é solto em audiência de custódia

Imprimir

Foto: Izabella Pimentel/ Cidadeverde.com

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) concedeu a liberdade provisória ao policial militar Max Kellysson Marques Marreiro, preso em flagrante no domingo (01) apontado como o autor do tiro contra Rudson Vieira Batista, ocorrido em um bar na zona Norte de Teresina. Max aguardou a chegada dos policiais no local e foi preso em flagrante. 

Na decisão, o juiz  de Direito da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, Jorge Cley Martins Vieira, expediu o alvará de soltura com medidas cautelares. "Determino ainda a suspensão do porte de arma do autuado, até o esclarecimento das circunstâncias do fato", diz. 

As medidas cautelares envolvem o comparecimento em juízo bimestralmente e em todos os atos processuais quando intimado, além de não poder deixa a comarca por mais de 15 dias sem a prévia autorização nem poder mudar de residência sem prévia comunicação a esse Juízo. 

O juiz também determinou que o policial está "proibido de frequentar bares, boates e similares".

"Dessa forma, entendo que em liberdade, o autuado não coloca em risco a ordem pública ou a instrução processual penal. As particularidades do caso demonstram a suficiência, adequação e proporcionalidade da imposição das medidas menos severas previstas no art. 319, em atenção ao preceito de progressividade das cautelas disposto no art. 282, §§ 4º e 6º, todos do Código de Processo Penal", ressalta a decisão. 

Crime

A decisão do juiz relata que, segundo consta nos autos, que os condutores (policiais) "foram acionados pelo COPOM para deslocarem-se até o Boteco do Gil, localizado na Avenida Duque de Caxias, 5397, bairro Buenos Aires, para uma ocorrência de disparo de arma de fogo e uma pessoa alvejada".

"Ao chegarem ao local, foram informados pelo segurança do estabelecimento que o autor do disparo era um Policial Militar identificado por Max Kellysson Marques Marreiros, que se encontrava aguardando a guarnição para se entregar. Diante dos fatos, encaminharam o autuado à Central de Flagrantes para os procedimentos cabíveis".

Com Max, os policiais apreenderam uma pistola Taurus ponto 40 municiada com dez cartuchos.

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir