Cidadeverde.com
Economia

Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Fapepi firmam parceria no programa Centelha Piauí

Imprimir

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, através da Superintendência de Desenvolvimento Econômico firmou, recentemente, uma parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), na execução do programa Centelha Piauí, promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

O programa, que tem como parceiros também, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), operada pela Fundação CERTI, busca estimular a criação de empreendimentos inovadores a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo o território nacional, incentivando a mobilização e a articulação dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país.

Visando transformar ideias inovadoras em empreendimentos de sucesso através do incentivo ao empreendedorismo, o Centelha Piauí oferece benefícios como: recursos financeiros via subvenção econômica, capacitação e suporte para alavancar o negócio, serviços de parceiros, acesso à incubadoras e potenciais investidores e ampliação de networking e divulgação da empresa. No Piauí, 28 startups receberão até 60 mil reais em subvenção econômica que não precisam ser devolvidos.

Para Ciro Gonçalves, diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Fapepi, o programa visa estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no brasil. “Através do Centelha Piauí, iremos oferecer capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso. No brasil, o programa está sendo executado em 21 estados. Já no Piauí, a execução ficou sobre a responsabilidade da FAPEPI, onde serão fomentadas 28 ideias que se tornarão empresas e ajudarão no desenvolvimento econômico do estado. Uma das principais ações do programa é criar um ambiente inovador no Piauí, possibilitando que as empresas se conectem e façam cada vez mais, a inovação de seus produtos”, disse ele. 

Podem participar do programa, pessoas físicas que atendam às exigências do edital ou empresas com faturamento anual bruto de até R$ 4.800.000, criadas e formalizadas a partir do programa ou com até 12 meses da criação, contando a partir do lançamento do edital. O mesmo se estende até o dia 31 de março de 2020 e está disponível no site: http://programacentelha.com.br/pi/.

Os interessados que desejarem inscrever uma ideia, devem acessar o site www.programacentelha.com.br, clicar no seu estado correspondente e fazer o cadastro. Para submeter uma ideia inovadora é preciso: descrever o problema, propor uma solução e apresentar os diferenciais da solução e a equipe empreendedora. O processo de avaliação e classificação dos projetos são divididos em: dupla avaliação, rede de avaliadores e capacitações e o resultado final dos projetos aprovados está previsto para julho de 2020.

Segundo Landerson Carvalho, Superintendente de Atração de Investimentos das SDE, a ideia do programa caracteriza-se como inovadora e veio para ajudar. “No Piauí, muita gente tem projetos bacanas, mas não sabe por onde começar e nem possui o aporte financeiro necessário. E o Piauí Centelha chega para ajudar nesse sentido. Além da capacitação oferecida, ele oferece ainda, recursos financeiros e o suporte para retirar a ideia do papel e colocá-la em prática. Nós da SDE somos parceiros da FAPEPI e enxergamos com bons olhos essa iniciativa, tendo em vista a abertura e a capacitação de novas empresas e novos gestores e nos comprometemos a trabalhar para que esse projeto continue e proporcione mais desenvolvimento para o nosso estado”, falou Landerson.


Da Redação 
[email protected]

Imprimir