Cidadeverde.com
Viver Bem

Cérebro promove "faxina" durante o sono para revigorar mente

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio, para que o corpo e mente fiquem revigorados. Afinal, uma boa-noite de sono ajuda a renovar as energias e consolidar as memórias. Mas o que alguns desconhecem é que o cérebro aproveita essas horas de descanso para promover uma “faxina”, removendo todo o “lixo” acumulado ao longo do dia.

Dessa forma, informações consideradas desnecessárias são eliminadas, liberando assim espaço. Já conteúdos sinalizados como relevantes permanecer gravados e, assim, seguem na memória para serem acessados quando necessários.

De uma forma geral, é por isso que estudantes muitas vezes não conseguem lembrar sobre um determinado assunto no momento da prova. Informações gravadas na memória de curto prazo são apagadas caso não sejam revisitadas periodicamente. Basicamente, a pessoa precisa convencer o cérebro que determinado assunto precisa ser arquivado, pois será útil e consultado futuramente. E é durante o sono que toda essa organização ocorre. 

Quanto dormir?

De acordo com especialistas, não existe uma quantidade de horas de sono padrão. Para recuperar as energias necessárias, cada indivíduo possui um tempo mínimo necessário.

Alguns precisam de um tempo menor. Já outros ficam satisfeitos apenas após 12 horas de sono. Como regra, vale considerar de 7 a 8 horas como um período satisfatório. Entretanto, é importante conhecer as particularidades do organismo e, assim, identificar individualmente o tempo necessário.

Quem não dorme tempo suficiente pode ter problemas diversos problemas. Além do cansaço físico tradicional, o indivíduo apresenta sintomas como: lentidão de raciocínio e irritabilidade. Aliás, como já mencionado, a memória também é prejudicada.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir