Cidadeverde.com
Geral

Ex-bombeiro é preso fingindo ser pastor e é suspeito de matar policial militar no Pará

Imprimir

Fotos: Yasmim Cunha

Um ex-bombeiro identificado como Márcio Dennys Machado Rodrigues, 41 anos, e apontado pela polícia como pastor evangélico foi preso na tarde desta quinta-feira (12) no bairro Monte Castelo, zona Sul de Teresina. A Força Tarefa da Secretaria de Segurança foi quem realizou a prisão do suspeito. 

De acordo com a polícia, o suspeito é um ex-Bombeiro Militar do Estado do Pará condenado pela Justiça por vários crimes, entre eles o assassinato de um policial militar do COE do Pará. Ele foi preso em 2011, mas fugiu do presídio.

O suposto pastor foi ouvido no 3° Distrito Poicial, no bairro Vermelha, também localizado na zona sul de Teresina.

"É um indivíduo de alta periculosidade.  Ele é  acusado de vários crimes no estado do Pará,  de fazer parte de facção, de grupo de extermínio.  Através de nossa inteligência do 3° Distrito nós chegamos a esse individuo. Ele é acusado de matar um policial do grupo de operações especiais da Polícia Militar. Ele não é mais policial da Polícia Militar, estamos com o ato de exclusão dele, de setembro de 2019. Ele se passava de policial militar,  se passava de bombeiro", disse o Major Audivan Nunes, da Força Tarefa da PM do Piauí.

De acordo com a Força Tarefa, o "pastor" estava no Piauí há cerca de cinco meses e é suspeito de praticar alguns assaltos em Teresina. Com ele, a polícia encontrou documentos falsos, dentre eles uma identidade falsa de cédula verdadeira emitida no Piauí.

Uma vendedora que possui um ponto comercial ao lado da igreja confirmou a prisão do suspeito, mas negou ser o pastor da igreja da qual é vizinha.

"Ele era nosso vizinho. Morava aqui há mais ou menos um mês. Eu já vi ele frequentando a igreja, mas ele não era pastor. O pastor daí eu conheço, moro aqui há 12 anos. Esse homem que foi preso hoje é novato, morava com uma mulher e mais duas crianças ", disse a vendedora que não quis se identificar. 

A reportagem foi até a residência onde o homem morava com a mulher, mas não havia ninguém no local.

Verdadeiro pastor da igreja nega atuação do preso

O pastor da igreja, Denis da Silva Costa, entrou em contato com o portal Cidadeverde.com e esclareceu que o preso nunca foi pastor naquela igreja.

"Ele chegou há um mês no bairro, morava na mesma rua, mas não tinha vínculo com a igreja e apenas frequentava como qualquer pessoa, pois o templo é um lugar público", disse o pastor Denis Costa.

Ele informou ainda que o preso ao chegar no bairro pediu autorização para vender sorvete na porta da igreja.  

 

Valmir Mâcedo
[email protected] 

 

Imprimir