Cidadeverde.com
Entretenimento

Conar abre representação ética contra Gusttavo Lima por excesso de bebida em lives

Imprimir

 

O Conar, órgão de regulamentação publicitária, abriu uma representação ética contra o cantor Gusttavo Lima e a Ambev, por possíveis irregularidades em relação ao consumo de bebida alcoólica nas lives apresentadas pelo músico nas últimas semanas.

A representação foi aberta nesta terça-feira (14), após dezenas de denúncias de internautas, envolvendo desde a falta de mecanismo para o acesso de menores de idade até o consumo excessivo de bebida alcoólica pelo músico, o que poderia ser considerado um estímulo ao consumo irresponsável do produto.

Em nota, o Conar afirmou que, apesar do formato inovador das apresentações online, elas devem seguir "princípios fundamentais da comunicação comercial do segmento, com a divulgação responsável de bebidas alcoólicas e sem fragilizar os cuidado para que não seja difundida a crianças e adolescentes".

O cantor e a Ambev terão agora 20 dias para apresentar defesa, se assim quiserem. Caso o Conar entenda que houve irregularidade, as penas podem ser a alteração da peça publicitária, neste caso alteração da live, e advertência aos responsáveis. Procurados, Gusttavo Lima e a Ambev ainda não se manifestaram.

A mais recente live do músico aconteceu no sábado (11) e teve palavrões, declarações de amor e ele bebendo de cerveja a tequila, mostrando estar alterado em algumas ocasiões. "Que ressaca, meu Deus. O que colocaram na minha bebida, gente?", chegou a afirmar ele no dia seguinte nas redes sociais.

A live, que teve uma mensagem "a todos os cachaceiros desse mundo" em sua abertura, durou sete horas e meia e teve 5,5 milhões de acessos simultâneos. Uma semana antes, o cantor já tinha feito uma outra apresentação online que durou cinco horas e teve mais de 750 mil acessos simultâneos.

Esse formato de show ganhou força nas últimas semanas devido à quarentena do novo coronavírus, que cancelou apresentações em todo o país. Antes mais intimista, as lives passaram a ter produções elaboradas, câmeras em drones e patrocínio de marcas famosas, principalmente com os sertanejos.

As grandes lives também têm arrecadado fundos e equipamentos para hospitais e instituições de caridade, além de conscientizar sobre a necessidade de ficar em casa. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, chegou a fazer aparições pré-gravadas nas lives de Marília Mendonça e Jorge e Mateus.

 


FERNANDA PEREIRA NEVES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) 

Imprimir