Cidadeverde.com
Geral

Maternidades municipais mantêm postos de doação de leite materno

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

As maternidades municipais registraram queda de doações nos postos de coleta de leite materno em razão da pandemia do novo Coronavírus. Em Teresina, três das quatro maternidades municipais – Buenos Aires, Satélite e Wall Ferraz – contam com postos de coleta de leite, que seguem em funcionamento. Hoje (19), Dia Nacional da Doação de Leite Humano, as unidades de saúde reforçam o pedido para que as mães continuem doando o alimento que salva a vida de muitos recém-nascidos.

“Um pote de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutrí-lo cada vez em que ele for alimentado. O leite materno é essencial para os recém-nascidos porque alimenta e protege contra diarreia, infecções respiratórias, diabetes e alergias. Ele deve ser o alimento exclusivo dos bebês até os seis meses de idade, e deve ser mantido até os dois anos da criança. Doar leite é seguro e muito importante. A Covid-19 não é transmitida através do leite materno”, explica Gina Nogueira, diretora da Maternidade do Satélite.

De acordo com a diretora, para doar, a mãe deve estar saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente. “Realizar o cadastro como doadora na maternidade, fazemos a entrevista de rotina, o treinamento de como o leite deve ser retirado e armazenado e entregamos um kit para que a mulher faça a coleta em casa, orientando também sobre o momento em que ela deve nos avisar para irmos até sua residência buscar o frasco com o leite”, detalha Gina Nogueira.

Na casa da doadora, o leite deve ser armazenado no congelador, em um frasco fornecido pelo hospital e com uma etiqueta onde deve ser registrada a data da coleta e outras informações. Quando o frasco chega a uma quantidade adequada, a mãe entra em contato com o hospital e um motoboy vai buscar o material, além de entregar frascos novos.

O leite recolhido é encaminhado para a Maternidade Evangelina Rosa, onde passa por um processo de controle de qualidade para ser destinado ao receptor. Uma vez estando apto para consumo, o leite é congelado para ser distribuído para os bebês, com prioridade aos prematuros. O leite tem validade de até seis meses.


Da redação
[email protected]

Imprimir