Cidadeverde.com
Entretenimento

Dançarina acusa Livinho de assédio e racismo e diz que não tem medo de ameaças

Imprimir

A modelo e dançarina Raielli Leon usou as redes sociais nesta terça-feira (2) para expor atitudes racistas e machistas do funkeiro Livinho, 25, durante a gravação de um videoclipe em 2017.

Tudo começou quando o cantor aderiu ao movimento #Blackouttuesday e publicou uma imagem toda preta em seu Instagram com intuito de participar do movimento Black Lives Matter ("vidas negras importam", em inglês), em combate ao racismo.

Raielli Leon, que é negra, se irritou ao ver o músico compartilhando a causa e resolveu contar o que lhe ocorreu. "Eu acho um absurdo voces se apropriarem dessa causa como se fosse apenas um tag qualquer, como se voces tivessem um pingo de empatia, depois de tudo que voces vem me causando", escreveu a dançarina, que também acusou o produtor musical Rodrigo GR6.

A modelo afirmou que não estava mais com medo das supostas ameaças que estaria recebendo do artista e seu produtor. "Eu gostaria muito que voces fossem no minimo preso pelo tormento, e a humilhacao que voces me causaram, isso nao vai ficar assim!", finalizou.

Além da publicação, Raielli Leon postou uma série de Stories no Instagram dando detalhes sobre os ocorridos. Ela contou que a situação aconteceu nos bastidores da gravação de um clipe do cantor, do qual ela fazia parte.

"Ele começou a fazer dancinhas obscenas, virado para o meu lado, pegando no saco, como se estivesse 'sarrando'. Nem falou comigo o clipe inteiro e do nada fazendo essas brincadeiras. Ele tirou o celular do bolso dele, colocou no meu cabelo, puxou e falou, 'Você roubou meu celular, cabelo!'. Eu já incomodada, tirei a mão dele", afirmou Leon.

A dançarina também disse que Livinho colocou a mão em seu cabelo e fez comentários racistas. "Falou que estava espetando, catou um anel, colocou no meu cabelo, falou que eu tinha roubado o anel dele. E eu inconformada, mandando ele parar".
A modelo disse que não recebeu um pedido de desculpas do funkeiro e ainda por cima foi xingada pelo mesmo. "Me xingou de todos os nomes possíveis, falou que ia acabar com a minha carreira, que eu deveria ter medo do que eu estava falando e com quem eu estava brincando."

A hashtag #LivinhoRacista foi um dosassuntos mais comentados do Brasil na madrugada desta quarta-feira (3). O funkeiro também usou as suas redes sociais para dar sua versão e negou o fato de que não teria se desculpado para a dançarino.

"Eu já pedi desculpa no primeiro momento. Teve a brincadeira, sim, me retratei na hora, ela não aceitou. Não falei nada além. Ela está levantando coisas sobre mim que eu não falei, me transformando numa pessoa que eu não sou. Não sou culpado, me retratei", afirmou Livinho em uma transmissão ao vivo no seu Instagram.

O cantor também disse que era homem e por isso arcava com todas as suas responsabilidades. "Para meus fãs, está aí eu me retratando e pedindo para vocês terem compreensão e entenderem o que aconteceu. Eu relevo muitas situações, mas quando chega a um ponto extremo de preconceito, de racismo, eu não consigo", finalizou.

Até o momento, a assessoria de Livinho não compartilhou uma declaração sobre o assunto.a

 

Fonte: Folha Press

Imprimir