Cidadeverde.com
Geral

"Estou com medo de meu pai morrer", diz filha de Arimatéia Azevedo

Imprimir

Foto: reprodução TV Cidade Verde

O jornalista Arimatéia Azevedo, que foi preso na última sexta-feira (16), teve o pedido de revogação de prisão negado pelo juiz da Central de Inquérito. Nesta terça-feira (16), o jornalista foi transferido do 12º Distrito Policial, no bairro Ininga, para a sede da Acadepol (Academia de Polícia do Piauí). 

A filha do jornalista, Maria Tereza Azevedo, informou ao portal Cidadeverde.com que a família está apreensiva, pois Arimatéia Azevedo tem comorbidades e a justiça não levou em conta. Segundo Tereza, o pai tem 67 anos, é hipertenso, é pré-diabético, tem pneumonia recorrente, derrame na pleura e um stent na perna.

"Meu pai não está tendo o direito de se defender e ainda colocam a vida dele em risco. Estamos no meio de uma pandemia e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) recomenda que os presos com comorbidades devem ter prisão domiciliar. Mas, nem isso ele teve o direto. Estou com medo de meu pai morrer, se não de agravamento de suas comorbidades, de desgosto por essa acusação injusta", disse Tereza Azevedo. (Veja resolução do CNJ aqui)

 A filha disse ainda que a família está revoltada, pois além de uma prisão ilegal, existe a ameaça de divulgarem as fontes de seu pai, já que o aparelho celular foi apreendido. 

Soltura do professor Barreto

O juiz Valdemir Ferreira Santos, da Central de Inquérito de Teresina, concedeu prisão domiciliar para o professor Francisco de Assis Barreto. Ele foi solto hoje e já se encontra em sua residênciaLeia decisão

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir