Cidadeverde.com
Geral

Entregadores de aplicativos fazem paralisação em Teresina; 30 tentativas de assalto no lockdown

Imprimir
  • greve_(4).jpg Roberta Aline
  • greve_(3).jpg Roberta Aline
  • greve_(2).jpg Roberta Aline
  • greve_(1).jpg Roberta Aline

Os entregadores por aplicativos de Teresina aderiram à mobilização nacional #BrequedosApps e decidiram paralisar as atividades nesta terça-feira (1). O movimento cobra melhores condições de trabalho.

Levando entregas em moto e até de bicicleta debaixo de sol ou chuva, a categoria é fundamental para os consumidores neste momento de pandemia, onde o comércio está fechado e restaurantes só podem atender por delivery. No entanto, os trabalhadores afirmam que os aplicativos não reconhecem esta importância e que muitos trabalham em situação degradante.

Júlio Cesar Sousa está à frente do movimento e afirma que em Teresina há 1300 entregadores cadastrados em aplicativo. Entre as pautas da mobilização está o pedido de aumento dos  valores nas corridas e no valor mínimo por entrega. Eles também pedem o fim do sistema de pontuação que, segundo eles, faz com que tenham que cumprir metas e acabem tendo que trabalhar a todo o momento, quase sem parar, dentre outras reinvindicações. 

“Precisamos de valorização. Às vezes o entregador vai entregar comida com fome porque não pode parar pra comer senão não conseguimos ganhar nada.  Precisamos também de EPIs, de máscaras, também estamos na linha de frente”, disse Júlio. 
Assaltos

Os constantes assaltos também é pauta da categoria. Um ato foi marcado para ser realizado na frente da Secretaria de Estado de Segurança, onde eles tentarão uma audiência com o secretário da pasta. 

Na noite de ontem (30) câmeras de segurança registraram um assalto a um entregador na Rua Arlindo Nogueira, no Centro. O homem chega na casa para fazer a entrega e ,de repente, dois jovens aparece, apontam arma de fogo e levam a motocicleta do trabalhador. As imagens mostram o entregar desolado após ter o veículo levado pelos assaltantes.

“Nós cobramos dos aplicativos seguro de roubo e acidente. E também o fim do bloqueio de perfis de entregadores que se recusam a ir para locais perigosos em Teresina. Fizemos um mapeamento das regiões onde mais acontecem assaltos e queremos mais proteção. Por isso vamos tentar uma audiência com o secretário”, disse.

Foto:Roberta Aline

Segundo os trabalhadores, nos fins de semana de lockdown o risco de assaltos é maior, devido às ruas terem menor fluxo de pessoas. De acordo com Julio, somente neste sábado e domingo  foram registrada 30 tentativas de assalto a entregadores em Teresina. Em uma delas, o entregador sofreu coronhadas.

“Vamos pedir ajuda do poder público para melhorar nossas condições”, finaliza Júlio.


Izabella Pimentel
[email protected]

Imprimir