Cidadeverde.com
Geral

Comitê Científico do NE alerta para "efeito bumerangue" em três cidades do Piauí

Imprimir

Foto: Danilo Verpa/Folhapress

Médico Miguel Nicolelis, que coordena o Comitê Científico do Nordeste.

O Comitê Científico do Nordeste alertou nesta sexta-feira (3) que cidades do Piauí poderão sofrer o chamado "efeito bumerangue", devido a interiorização de casos da covid-19. 

De acordo com o boletim divulgado pelo comitê, os casos confirmados da doença no interior estão dobrando em uma proporção que chega a ser duas vezes maior que nas capitais.

"O Comitê continua vendo com extrema preocupação qualquer iniciativa de relaxamento social, tanto no Nordeste como no Brasil, que não se baseie nos critérios estabelecidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde)", diz o médico Miguel Nicolelis, que coordena o Comitê Científico do Nordeste.

No Piauí, as cidades que podem sofrer esse efeito bumerangue são Teresina, Parnaíba e Picos. O Comitê Científico aponta que "o Piauí enfrenta um crescimento de casos tanto em Teresina (64% de aumento), como em cidades importantes do estado, como Picos (88% de aumento em casos) e Parnaíba (103%)".

"Campo Maior (121%) e Luzilândia (248%) também apresentam crescimentos de casos extremamente preocupantes. Além da capital Teresina, São Raimundo Nonato, Parnaíba, Bom Jesus e Barras definem o grupo das cinco cidades piauienses que mais apresentaram crescimento de casos de coronavírus no dia 29 de junho de 2020", destaca o relatório. 

Miguel Nicolelis voltou a elogiar as ações do governo do Piauí, mas pede que a retomada das atividades seja com muita cautela, organizada, gradual  para não ter risco de fechar tudo. O coordenador do comitê recomenda medidas restritivas para evitar que a taxa de transmissão do vírus aumente.

Nicolelis divulgou medidas que os governadores e os prefeitos devem adotar nesta fase da pandemia. 

 

O relatório ressalta que "apesar de uma menor diferença, em termos de valor , entre a capital Teresina (1.65) e cidades do interior (Campo Maior, 1.93), ou da costa do estado (Parnaíba, 1.84), o crescimento da curva de casos no interior do Piauí também está bem mais acelerado do que o equivalente para a região metropolitana de Teresina". 

O aumento do número de casos nas cidades do interior do estado indica que "Teresina pode passar a receber um grande fluxo de pacientes graves, oriundos do interior do estado, nos próximos dias ou semanas". 

 

Veja aqui o Boletim Nº09



Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir